Montreal 2013: André Brasil ganha primeira medalha de ouro para o País; Phelipe Rodrigues é bronze

Compartilhe:

André Brasil confirmou sua fama de multimedalhista e conquistou nesta segunda-feira (12) o primeiro ouro do Brasil no Mundial de Natação, em Montreal, Canadá. Nos 100m livre S10, André marcou o tempo de 51s57 e garantiu a medalha dourada. O norte americano Ian Jaryd Silverman e o também brasileiro Phelipe Rodrigues completaram o pódio da prova.

Mais cedo, André já havia dito que os 100m livre S10 era sua prova, e que ninguém tiraria a medalha dele. Após a prova, o nadador falou que o título – terceiro na distância – é muito importante para ele, mas que ainda tem ambições para o futuro. “A gente vem batalhando para nadar abaixo dos 50s. Ninguém é imbatível. Fico feliz com a medalha de ouro, mas não saí satisfeito com meu tempo”, analisou André.

O companheiro de seleção Phelipe Rodrigues também não se disse 100% satisfeito com o desempenho na final. Apesar de dizer que esperava outra medalha, pretende usar a conquista como motivação para as próximas disputas. E sem esconder a vontade de subir mais no pódio, explicou o que aconteceu nos 100m livre. “Passei muito mais forte do que queria. Acabei me afobando quando vi que estava em primeiro, e aí faltou perna, faltou tudo no final. Mas ainda não acabou, nado mais quatro vezes, então é bola para frente”, completou.

Com a dobradinha de André e Phelipe, o Brasil fechou o primeiro dia de competições com cinco medalhas, sendo uma de ouro, uma de prata e três de bronze.

A participação brasileira no Mundial de Montreal é custeada por um convênio com o Ministério do Esporte. A parceria, que também financiou a equipe de atletismo em Lyon, no Mundial da modalidade, ainda abarca outras 13 modalidades.

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *