Pessoas com deficiência ficam sem passe para o transporte coletivo em Manaus

Compartilhe:

A Superintendência de Transportes Urbanos (SMTU) de Manaus (AM) estuda uma forma de limitar a quantidade de vezes que as pessoas com deficiências poderão usar, gratuitamente, o transporte coletivo de Manaus. Segundo informou a assessoria de imprensa da secretaria, o estudo se deu após ter sido constatado possíveis irregularidades no uso das carteirinhas por parte deles.

Na sexta-feira (09), todas as carteiras de acesso usadas por pessoas com deficiências foram bloqueadas. Segundo o presidente da Associação dos Deficientes Visuais do Amazonas, Cristiano Ferreira, o bloqueio não foi comunicado aos usuários. “Tentamos usar o coletivo e fomos barrados pelos cobradores. Muitos de nós reclamaram porque foram expulsos pelos motoristas que disseram terem sido orientados a não nos deixar passar”, disse Cristiano.

Na segunda-feira (12), pela manhã, havia fila na entrada da sede da SMTU, localizado na avenida Torquato Tapajós.  A esportista paralímpica Elen Silva estava entre os usuários com a carteirinha bloqueada e aguardava explicações. “No domingo fui humilhada por um cobrador, que disse que eu não podia sentar nas cadeiras de deficientes e teria de pagar passagem. Ele me disse que era uma ordem geral das empresas e nenhum deficiente poderia usar o ônibus sem pagar. Isso é um absurdo porque conhecemos os nossos direitos”, disse Elen.

Ainda com o auxílio de muletas, Juarez Oliveira saía da sala de atendimento do órgão preocupado. Ele disse que foi até o SMTU para realizar o recadastramento quando foi informado pelos colegas das mudanças. “Eu não sabia que estava bloqueada porque não sai na sexta-feira. Quando cheguei aqui me informaram que teríamos no máximo oito passagens por dia. Para mim que moro longe é impossível eu me deslocar a todos os médicos diariamente com esse número mínimo de passagem”.

A assessoria  da SMTU negou que exista um valor máximo para o uso das carteiras de deficiente, mas informou que a secretaria estuda meios legais de se estipular um teto máximo para o uso. Segundo os dados apresentados pela assessoria, técnicos do SMTU constataram que carteiras de deficientes físicos eram usadas mais de cem vezes, o que indicaria fraude no sistema de transporte de deficientes.

Fonte: A Crítica

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *