Programa de Metas de São Paulo dá atenção especial às pessoas com deficiência

Compartilhe:

Na última sexta-feira, 16 de agosto, em audiência na Câmara Municipal, foi apresentada a versão final do Programa de Metas da Cidade de São Paulo (2013-2016). O documento é resultado do processo participativo realizado em 35 encontros públicos nas subprefeituras e na Câmara.

O novo plano incorporou 28 metas e excluiu cinco, totalizando 123 itens. Em relação a ações voltadas a pessoas com deficiência, no plano inicial existiam cinco grandes ações que foram mantidas, cujo objetivo é garantir a acessibilidade e mobilidade urbana nos espaços públicos e de uso público no que tange às dimensões arquitetônicas, comunicacional, metodológica, instrumental e atitudinal.

São elas:
• Tornar acessíveis 850 mil m2 de passeios públicos;
• Efetivar o funcionamento da Central de Libras, Intérpretes e Guias-Intérpretes – CELIG no período de 24h/dia;
• Garantir a oferta de vagas a todas as crianças beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) e seu acompanhamento nos moldes do BPC Escola
• Ampliar a acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, garantindo 100% da frota acessível;
• Revitalizar os Centros de Formação e Acompanhamento à Inclusão (CEFAI) ampliando a oferta de vagas para crianças com necessidades especiais.
Além dessas, foram inseridas mais duas metas para promover, ampliar e qualificar ações voltadas à efetivação dos direitos das pessoas com deficiência, que são:
• Implantação de 10 residências inclusivas para pessoas com deficiência;
• Implantação de 5 Centros Especializados de Reabilitação (CER).
Caberá à Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, que coordenará o Plano Municipal de Ações Articuladas para as Pessoas com Deficiência, o papel de atuar junto a outras secretarias para que essas metas se transformem em ações efetivas.

Fonte: Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *