Praias badaladas se tornam acessíveis às pessoas com deficiência

Compartilhe:

Iniciativas no litoral brasileiro têm tornado as praias mais atraentes para pessoas com algum tipo de deficiência. Com esteiras de acesso ao mar, cadeiras de rodas anfíbias e profissionais qualificados para o banho assistido, um grupo pioneiro de organizações e secretarias de turismo se uniram para incluir quem tem algum tipo de limitação nas atividades turísticas

A praia de Ponta Negra, em Natal (RN), foi beneficiada com o projeto OrtoRio, da Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico. Praias em Olinda e Fernando de Noronha, Porto de Galinhas e Boa Viagem, todas em Pernambuco, também oferecem apoio para entrar no mar com apoio do projeto Praia Sem Barreiras, da Secretaria de Turismo de Pernambuco.

A turista Luciana Marques, de 30 anos, voltou a tomar banho de mar depois de muitos anos. “Antes eu passeava apenas no calçadão de Boa Viagem. Hoje, vou à arena de acessibilidade de Boa Viagem sempre que posso. Esta é uma grande iniciativa de inclusão”, disse. O Brasil tem 45,6 milhões de pessoas com alguma deficiência, segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, de 2010.

O Ministério do Turismo aprova iniciativas que proporcionem a inclusão de pessoas com deficiência. “O objetivo é que o maior número possível de pessoas possa usufruir dos benefícios da atividade turística”, diz Wilken de Oliveira, coordenador geral de segmentação do Ministério do Turismo.

O Mtur tem um programa chamado Turismo Acessível, que oferece um pacote de incentivos à estrutura e promoção acessibilidade. A ação reservou investimento de R$ 100 milhões para promover a inclusão social e o acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida à atividade turística.

Atualmente, a pasta investe R$ 7 milhões em obras de acessibilidade em Pernambuco. Entre elas, a Praça da República, o Mercado São José, a Avenida Boa Viagem e o terminal integração de passageiros, todas em Recife, e o Mercado da Ribeira e a Orla de Olinda, em Olinda.

A presidência da República criou o Plano Viver Sem Limites, com iniciativas na mesma área, como transportes escolares acessíveis, formação de professores e tradutores-intérpretes em Língua Brasileira de Sinais (Libras).