Vem aí o Assim Vivemos 2013 – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência

Compartilhe:

Em 2013, o "Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência" chega à sua 6ª edição com a exibição de 26 filmes de 17 países diferentes. Com patrocínio do Banco do Brasil, o festival terá acesso garantido para pessoas com deficiência visual, auditiva e cadeirantes em todas as sessões.

O evento acontece de 21 de agosto a 1° de setembro, no Rio de Janeiro, entre 3 e 15 de setembro, na cidade de Brasília, e de 2 a 12 de outubro, em São Paulo, nas sedes do Centro Cultural Banco do Brasil.

O festival reúne produções nacionais e internacionais sobre o tema deficiência, sob a ótica da inclusão e com o objetivo de mostrar as capacidades das pessoas e sua inserção na sociedade.

O festival, que é bienal, comemora 10 anos de existência. O foco está em filmes que tenham a pessoa com deficiência como protagonista. Além disso, o festival também garante acessibilidade ao público, tanto para pessoas com deficiência visual, com audiodescrição em todas as sessões e catálogos em Braille, e auditiva, com legendas Closed Caption nos filmes e interpretação em LIBRAS nos debates.

Inédita, a programação traz novas abordagens sobre o tema do autismo e seu amplo espectro, sobre o tema da surdez e os posicionamentos conflitantes entre oralização e sinalização, sobre as moradias assistidas para pessoas com deficiência e as complexidades da institucionalização, entre outros temas relevantes.

O festival contará ainda com uma exibição especial do longa "As Sessões" (Fox Filmes), que servirá de tema para um dos quatro debates organizados sobre temas específicos, congregando pessoas com deficiência, profissionais especializados e realizadores. O filme trata da vida afetiva e sexual de Mark O´Brien, personagem real que já foi retratado em um documentário exibido na primeira edição do evento "Lições de Respiração: a vida e a obra de Mark O´Brien". Os temas dos outros debates serão "Autismo e seus desafios", "Surdez e comunicação" e "Institucionalização das pessoas com deficiência".

Fonte: Blog da Audiodescrição

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *