Teatro adaptado para pessoas com deficiência em comunidades cariocas

Compartilhe:

Entre os dias 30 de agosto e 13 de setembro, moradores da Favela do Fumacê, Caçapava, Cidade de Deus, Complexo do Alemão e Caju, no Rio de Janeiro, poderão conferir a peça “Ninguém mais vai ser bonzinho – Em Esquetes”. O espetáculo conta com intérprete de Libras, legenda eletrônica, audiodescrição das cenas, programas em braile, visita guiada ao cenário, atendimento prioritário para pessoas com deficiência e reserva de assentos para pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida.

A peça, que tem entrada gratuita,  é encenada pelo grupo Os Inclusos e os Sisos, projeto de arte e transformação social da Escola de Gente. Além das apresentações, o público também poderá participar de Oficinas de Teatro Acessível, as vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas através do e-mail escoladegente@escoladegente.org.br.

Sinopse
Quatro pessoas se conhecem num ônibus após um sequestro, entre elas, uma com síndrome de Down, que está fugindo de casa em busca de mais autonomia. Perdido, e sem qualquer perspectiva de ajuda, o grupo precisa encontrar uma maneira de sair da enrascada, sob o perigo iminente da volta dos bandidos. A peça traz uma reflexão importante sobre a superproteção da família em relação a adolescentes e jovens com síndrome de Down, com um texto que traduz o esforço de pessoas nascidas com essa condição genética para terem voz própria, serem ouvidas dentro de suas casas, por suas famílias, ao expressarem suas ideias e desejos.

Confira a programação:

Dia 07/09
Endereço: Quadra de eventos da Caçapava / Ginásio Presidente Ramos. Rua da Capaçava, 305 – Grajaú
Horário: Oficina: 10h as 13h
Espetáculo:
Grupo convidado: 16h as 16h15
Ninguém mais vai ser bonzinho – 16h15 as 17h05

Dia 09/09
A Praça de Conhecimento- Complexo do Alemão (acesso é pela Rua Nova Brasília, na altura do número 1.919, da Avenida Itaóca, em Inhaúma.
Horário: Oficina: 10h as 13h
Espetáculo:
Grupo convidado: 16h as 16h15
Ninguém mais vai ser bonzinho -16h15 as 17h05

Dia 12/09
Fundação Gol de Letra
Endereço: Rua Carlos Seidl, 1141/ 2º andar – Caju
Horário: Oficina: 8:30h as 11:30h  – 30 pessoas
Espetáculo
Grupo convidado: 16h as 16:15
Ninguém mais vai ser bonzinho – 16h15 as 17h05

Dia 13/09
Escola Municipal Pedro Aleixo
Endereço: R. Edgard Werneck, 1565 – Cidade de Deus
Horário: Oficina: 10h as 13h  – 30 pessoas
Espetáculo:
Grupo convidado: 16h as 16:15
Ninguém mais vai ser bonzinho – 16h15 as 17h05

Fonte: Catraca Livre

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *