Relatório traça perfil de pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade social na Grande São Paulo

Compartilhe:

Das 506 pessoas com deficiência atendidas na segunda fase do Projeto Cadê Você?, 80% declararam necessitar de algum tipo de tratamento na área da saúde; 64% estão desempregados e 52% indicaram não saber ler e escrever. Os dados integram o relatório de atividades do projeto, promovido pelo Instituto Mara Gabrilli (IMG), com patrocínio do McDonald‘s, Bombril e Sabesp.

A publicação foi lançada no Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, 21 de Setembro, e abrange informações coletadas em 14 mutirões, realizados entre maio de 2012 e julho de 2013. No mesmo dia, também foi lançado o videoaula Orientações para Pessoas com Lesão Medular – Ginástica em Casa.

Cadê Você? – “Sem acesso a serviços básicos, pessoas com deficiência que moram em áreas carentes de São Paulo ainda estão à margem da sociedade. Com o Projeto Cadê Você? levamos orientações e informações que podem contribuir para mudar a forma de viver destes cidadãos. Queremos que eles tenham autonomia para buscarem, cada vez mais, melhorar sua qualidade de vida”, afirma Mara Gabrilli, fundadora do IMG.

Criado em 2010, o Projeto Cadê Você? localiza e identifica pessoas com deficiência, avalia suas condições de vida, situação socioeconômica, recursos de acessibilidade e cria uma rede de proteção levando informações sobre os principais serviços existentes nas áreas de saúde, trabalho, acessibilidade, educação e direito. “Neste ano o projeto aumentou mais de 70% o número de atendidos”, completa Mara, citando que no total o projeto já atendeu 799 pessoas com deficiência.

Os atendimentos são feitos no formato de mutirões compostos por equipes multidisciplinares com assistentes sociais, fonoaudiólogos, psicólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Dos 14 mutirões realizados na sua segunda fase, 12 aconteceram na cidade de São Paulo, um em Guarulhos e um em Diadema. Entre as pessoas atendidas prevaleceram aquelas com deficiência física (41,89%), seguida pela deficiência múltipla (24,90%) e deficiência intelectual (14,42%).

“Nosso principal foco é empoderar as pessoas com deficiência, fornecendo informações adequadas sobre serviços e tratamentos. Também encaminhamos para o serviço público quando necessário”, afirma Mara, lembrando que o projeto não tem intenção de substituir o poder público no papel de dispensação de equipamentos, e nem tem condições de contemplar toda demanda.

Durante o período, também foram disponibilizadas as seguintes cartilhas: Orientações para pais e cuidadores de crianças com paralisia cerebral, Orientações para pessoas com lesão medular e Orientações sobre sexualidade e deficiência intelectual. Todas disponíveis para download no site do IMG.

Dados Relatório Projeto Cadê Você? 2012-2013
Instituto Mara Gabrilli (IMG)

– 75% das famílias possuem renda per capita de até 1 salário mínimo
– 52% das pessoas indicaram não saber ler e escrever
– 64% é o índice de desemprego dos atendidos
– 72% das pessoas dependem exclusivamente do transporte público
– 60% não realiza nenhuma atividade de cultura, esporte ou lazer
– 80% declaram necessitar de algum tipo de tratamento na área da saúde
– 24% dos encaminhamentos do Projeto Cadê Você? tiveram resultado positivo na primeira tentativa.
– 13,5 meses é o tempo médio de espera por uma cadeira de rodas pelo SUS

Videoaula – Para estimular a prática de exercícios por pessoas com lesão medular, o Instituto Mara Gabrilli (IMG) lança o videoaula Orientações para Pessoas com Lesão Medular – Ginástica em Casa. A ideia é ajudar cadeirantes a incorporar a atividade física regular na sua rotina. Os exercícios estão divididos em aquecimento, fortalecimento muscular e alongamento. Além dos DVDs distribuídos pelo IMG, o vídeo também pode ser acessado no canal do IMG no Youtube: www.youtube.com/institutomaragabrill

Trailler: http://www.youtube.com/watch?v=M0wRzMjZs7A

Sobre o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência

O dia 21 de setembro foi instituído como o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência em 1982 pelas entidades nacionais atuantes no setor. Em 14 de julho de 2005, a data foi oficializada através da Lei Federal nº 11.133. Desde então o dia é comemorado anualmente em todos os estados brasileiros, e serve de momento para refletir e buscar novos caminhos e como forma de divulgar as lutas por inclusão social.

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *