‘Viver sem Limites’ garante direitos às pessoas com deficiência, diz Dilma

Compartilhe:

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (23), durante seu programa de rádio "Café com a presidenta", que o programa "Viver sem Limites" está ampliando o acesso das pessoas com deficiência à saúde, educação, moradia e equipamentos que facilitam o cotidiano delas.

Segundo Dilma, o governo federal vai investir R$ 7,6 bilhões até o ano que vem. "Com esse programa, estamos garantindo direitos, autonomia e, principalmente, oportunidade às pessoas com algum tipo de deficiência para que elas possam viver com mais liberdade e mais dignidade", acrescentou Dilma.

A presidente também destacou que 630 mil casas adaptáveis foram contratadas no seu governo para beneficiar as pessoas com deficiência. "Nós já entregamos em torno de 9 mil dessas casas adaptáveis, com quites para as pessoas com deficiência. As casas têm que vir com portas mais largas, com banheiros mais espaçosos, corredores mais amplos e barras que facilitem a locomoção das pessoas. Mas não é só isso, quando a pessoa com deficiência recebe a chave da casa, junto, ela recebe também um quite de acordo com a sua necessidade", completou.

Dilma também frisou a importância do programa para as crianças e os adolescentes, que precisam de ônibus adaptados, além da adaptação das escolas para receber melhor os estudantes com deficiência. "Meu governo já entregou 830 ônibus adaptados para as prefeituras de mais de 600 cidades, que já estão levando as nossas crianças com deficiência para a escola, seja para as escolas públicas ou aquelas muito importantes escolas das Apaes", ressaltou a presidente.

De acordo com a presidente, até o momento já foram direcionados R$ 235 milhões para 26 mil escolas de todo o país se tornarem mais acessíveis às pessoas com deficiência. Dessa maneira, governo federal repassa o dinheiro diretamente para a escola fazer as obras de acessibilidade, aquelas que garantem e asseguram o acesso fácil, desde construção de rampas e adaptação das portas e dos banheiros.

Ainda sobre o programa "Viver sem Limites", Dilma destacou que aumentou o número de testes em "recém-nascidos para detectar alguma deficiência ou doença genética", dentre eles o teste do pezinho e o teste da orelhinha.

Fonte: G1 Política

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *