Cerca de 80% dos problemas de visão poderiam ser evitados ou curados

Compartilhe:

No Dia Mundial da Visão, comemorado nesta quinta-feira (10), a Organização Mundial da Saúde alerta que existem 39 milhões de cegos no mundo e que 80% dos problemas de visão podem ser evitados ou curados se forem tomadas as medidas necessárias.

Segundo a OMS, cerca 246 milhões de pessoas sofrem com perda moderada ou severa da visão, 90% delas em países em desenvolvimento.

A agência calcula que 19 milhões de crianças com menos de 15 anos tenham problemas visuais. Desse total, 12 milhões sofrem de condições que poderiam ser facilmente diagnosticadas e corrigidas. Quase 1,5 milhão destas crianças nunca mais voltarão a enxergar e de 30% delas vão morrer antes de completar dois anos de idade.

O diagnóstico precoce de problemas visuais é particularmente importante para crianças dos países em desenvolvimento, que sofrem com os reflexos da desnutrição combinada com doenças infecciosas. Na África Subsaariana milhares de bebês não recebem vitamina A suficiententemente. A falta desta vitamina é a maior causa conhecida de perda irreversível de visão.

A ONG "Light of the World", parceira da OMS no combate à cegueira, envia suplementos de vitamina A para a África na tentativa de salvar as crianças do problema.

Segundo a organização, cada catástrofe alimentar na África acarreta uma onda de cegueira. A falta de água e a fome também são causas da perda da visão, especialmente entre mulheres e crianças.

Esforço Mundial
Mesmo com registro de quedas nos índices desde 1990, a OMS afirma que é necessário um esforço mundial para reverter o cenário atual. Durante a Assembleia Mundial da Saúde foi aprovado um plano de ação para o acesso universal à saúde visual, que deve ser implementado pelos países membros. O objetivo é reduzir em 25% os problemas visuais até 2019.

Um destaque neste plano são as cirurgias de catarata. A agência da ONU afirma que a cirurgia, a mais realizada em países industrializados, é uma das mais eficazes e a que tem o tratamento com o melhor custo-benefício.

Fonte: Jornal do Povo de Três Lagoas

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *