Pacientes comemoram Dia das Crianças no Ceir

Compartilhe:

Foi com pipoca, algodão doce, apresentação de capoeira e distribuição de brinquedos que os pacientes do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) comemoraram a passagem do Dia das Crianças. A festa aconteceu nesta quinta-feira (10), na sede da instituição, localizada na zona Sul de Teresina, e contou com a participação de familiares, pacientes e funcionários do Ceir.

Ao iniciar a festa, Nazaré Bezerra, coordenadora do Setor de Voluntariado do Ceir, lembrou que o objetivo da comemoração é integrar os pacientes e trabalhar a data de forma lúdica. “Queremos reforçar neles a mensagem de que o Ceir é mais do que um ambiente para terapia. Esta foi mais uma forma de demonstrar o carinho de todos os funcionários e voluntários com as crianças atendidas aqui”, destacou Nazaré Bezerra.

Júlia, de quatro anos, foi uma das beneficiadas com os brinquedos doados ao Ceir. A mãe da menina, Claudiana Carvalho, explica que ela faz tratamento de reabilitação no local há dez meses, por conta de uma paralisia cerebral. As duas moram na cidade de Padre Marcos, localizada no Sul do Piauí, e passam três dias da semana em Teresina para o tratamento.

“Hoje é o dia de voltar para casa, mas resolvi esperar pela festa e confesso que valeu a pena. É muito bom ver minha filha sorrindo, brincando e fazendo coisas que antes ela não fazia”, disse Claudiana. No Ceir, Júlia tem acesso a tratamento com médicos e terapeutas de várias especialidades, entre eles fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional.

Cerca de 300 brinquedos foram arrecadados pelos voluntários do Ceir para serem distribuídos na festa. Walter Oliveira, superintendente administrativo e financeiro do Centro, parabenizou a equipe pela campanha e agradeceu as doações. “O apoio e trabalho dos voluntários são fundamentais para a excelência das atividades do Ceir”, finalizou Walter.

Empresas e políticos que contribuíram com a campanha de arrecadação de brinquedos foram homenageados com a entrega do certificado de Empresa Amiga do Ceir. Durante a festa, houve, ainda, a apresentação do grupo de capoeira formado por pacientes do Centro, que são atendidos dentro da terapia de Reabilitação Desportiva.

Fonte: Governo do Estado do Piauí

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *