Mostra Internacional de Arte + Sentidos reúne artistas com e sem deficiência em São Paulo

Compartilhe:

Promovida pela Secretaria de Estado da Cultura a mostra internacional de Arte + SENTIDOS conta com o apoio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, que oferece recursos de acessibilidade comunicacional em museus, teatros, espetáculos e eventos. Todas as apresentações dessa mostra terão recursos de audiodescrição, Libras e programas em braile. Acontece no Teatro Sérgio Cardoso, de 10 a 27 de outubro.

O público está convidado a assistir espetáculos reconhecidos por sua qualidade estética produzidos por artistas com e sem deficiência e que, apresentados numa mostra única, levam ao debate sobre a produção e o consumo da arte por todas as pessoas. Ao todo, são dez grupos e solistas do Brasil, Portugal e Escócia, com 12 montagens, sendo quatro inéditas em São Paulo.

“Temos buscado garantir o acesso das pessoas com deficiência ao conteúdo cultural em todos os nossos equipamentos – nada menos do que é direito de todo cidadão. Com a mostra + SENTIDOS, abordamos outro aspecto da acessibilidade em cultura, que é o protagonismo da pessoa com deficiência na criação artística”, afirma o secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araujo.

A programação inclui o espetáculo Corpo sobre Tela, de Marco Abranches, artista com paralisia cerebral que se inspira na obra de Francis Bacon para discutir questões como autonomia, singularidade e sensações. Já a Quasar Cia de Dança apresenta NoSingular, coreografia com a participação do público que, desta vez, terá acesso ao vídeo para ensaio na internet com legendas e audiodescrição.

Um dos principais objetivos da mostra é abrir espaço para artistas de diferentes segmentos, que desenvolvem trabalhos de qualidade, selecionados por uma equipe de curadores que mapeou dezenas de grupos no País.

Segundo José Roberto Sadek, diretor-executivo da APPA – organização social de cultura responsável pela execução da mostra + SENTIDOS –, promover um evento desse porte é um desafio que vai trazer benefícios para o público, já que, segundo ele, “o Sérgio Cardoso tem como uma das metas ser um teatro exemplar no atendimento a pessoas com alguma deficiência, seja na plateia ou nos palcos”.

Por meio da parceria com o British Council, o evento recebe ainda três grupos vindos do Reino Unido para a última semana da programação, parte da mostra UNLIMITED – Arte sem Limites, maior programa voltado à produção de trabalhos realizados por artistas com deficiência, lançado em 2009 pelo Comitê de Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres 2012.

“O British Council promove no Festival Unlimited: Arte sem limites uma mudança de percepção e atitude para com a deficiência e celebra uma arte onipotente produzida por artistas que colocam a excelência em primeiro plano e sem o público perceber quebram todos os paradigmas que alguém possa ter sobre as inabilidades”, afirma Liliane Rebelo, a gerente de projetos de artes do British Council.

Completa a grade a mesa de debates + Sentidos para a arte e para a plateia, que ocorre no dia 15 de outubro, com consultoria realizada pela pesquisadora e professora do Instituto de Artes da UNICAMP, Cássia Navas. O debate acontece com a mediação da doutora em Educação e professora do Curso de Dança da Universidade Anhembi Morumbi, Ana Terra, e conta com a participação de Estela Lapponi, artista com deficiência causada por um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ocorrido há 15 anos, a consultora do Encontro, Cássia Navas, e a jornalista e atriz Kátia Fonseca, artista com deficiência.

Com ingressos no valor de R$ 10 e alguns espetáculos com entrada franca, as atrações ocupam todos os espaços do Teatro Sérgio Cardoso, incluindo o saguão, a Sala Paschoal Carlos Magno e a Sala Maior. Para acompanhá-las, o público terá à disposição todos os recursos de acessibilidade como audiodescrição, legendagem, tradução simultânea em libras e programas em Braille.

ACESSIBILIDADE EM CULTURA
A mostra + SENTIDOS integra outras políticas públicas desenvolvidas pela Secretaria de Estado da Cultura com o objetivo de promover a acessibilidade comunicacional aos bens culturais. É o caso do Programa de Acessibilidade em Cultura, realizado em parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que já promoveu neste ano a exibição de espetáculos acessíveis da São Paulo Cia de Dança e do Festival Paulista de Circo em cidades do interior paulista.

O programa promove ainda o lançamento de um edital do ProAC – programa de incentivo à cultura, com o objetivo de tornar diversas apresentações culturais mais acessíveis a pessoas com todo tipo de deficiência.

Na capital destacam-se, ainda, os trabalhos realizados na Biblioteca de São Paulo, que possui estrutura, equipamentos e pessoal treinado para possibilitar o acesso ao conteúdo disponibilizado, além de acervo de audiolivros e livros em Braille. Na Pinacoteca, a Galeria Tátil de Esculturas conta com 12 obras selecionadas e que podem ser apreciadas ao toque pelo público cego.

No ano passado, a primeira edição da Plataforma Internacional Estado de Dança foi acessível também a pessoas com deficiência visual, com a implantação de audiodescrição nas coreografias No Singular, da Quasar Cia de Dança, e Francis Bacon, de Ismael Ivo. Além dos exemplos citados, o Museu do Futebol, Museu Afro Brasil, Museu Índia Vanuíre e Museu da Língua Portuguesa também oferecem programação especial para pessoas com deficiência. 

Há dois anos, o Programa de Fomento ao Cinema Paulista, realizado em parceria com a Sabesp, exige que os filmes selecionados produzam também cópias com legenda e audiodescrição. 

PROGRAMAÇÃO:

A mostra +SENTIDOS reúne dez grupos e doze montagens. Quatro delas serão apresentados pela primeira vez em São Paulo: Terreiro Lumiara, com a Cia. Gira Dança (que também encena Proibido Elefantes); Corpo Sobre Tela, solo de Marcos Abranches; Intento, com a Cia. Incena 2.5; e Dez Mil Seres, com a companhia portuguesa Dançando com a Diferença.

Além desses, os espetáculos escoceses If These Spasms Could Speak (Se estes espasmos pudessem falar), de Robert Softley, Snails & Ketchup (Caracóis e Ketchup), de Ramesh Meyyappan e uma montagem de Claire Cunningham, a confirmar, também serão vistos pela primeira vez no Brasil.

Entre os destaques nacionais também está NoSingular, da Quasar Cia. de Dança, subvencionada pela Plataforma Internacional Estado da Dança (2012) da Secretaria de Estado da Cultura e Associação Amigos da Arte. Trata-se de uma das primeiras obras que utilizam o recurso de audiodescrição para que pessoas cegas ou de baixa visão possam ter acesso ao espetáculo. Conta com a direção artística de Henrique Rodovalho.

Participam ainda do evento o Coletivo MR, com Devir Coisas; a Cia. Arte Silêncio, que apresenta Orelha; e a diretora Fernanda Amaral, que comanda a vivência Dança Sem Fronteiras.

SERVIÇO:
Teatro Sérgio Cardoso
Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 e Entrada Franca para atividades no saguão
Horário da bilheteria:  quarta a sábado, a partir das 14h
Endereço: Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – São Paulo (SP)
Estações do Metrô Próximas: São Joaquim e Brigadeiro
Acessibilidade para Pessoas com Deficiência
Telefone: (11) 3288-0136

Fonte: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo