Livros para alunos da educação especial auxiliam na formação profissional

Compartilhe:

A Secretaria da Educação lançou, na última terça-feira (22), os livros “Diretrizes para a Educação Especial para o Trabalho”, “Diretrizes para a Cooperação Técnica entre as APAEs e a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo” e o “Projeto ASAS Quando a Cidadania vai Além do Direito à Educação”.

Os títulos são voltados à educação inclusiva na rede estadual de ensino que, atualmente, atende 14.380 mil pessoas com deficiência em 1746 salas de recursos presentes unidades de ensino. Ao todo, 16 especialidades são assistidas, entre elas, destacam-se a surdez severa e deficiência intelectual com o maior número de matriculados.

As publicações são de autoria da equipe técnica do Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado (CAPE) em parceria com a APAE

Segundo Maria Elizabete da Costa, coordenadora da Coordenadoria de Gestão da Educação Básica (CGEB), o objetivo das publicações é preparar os professores para estimular alunos deficientes a ingressarem no mercado de trabalho. “A maior preocupação da CGEB e da Secretaria da Educação é garantir uma visão contemporânea oferecendo a formação especial para o trabalho”, afirma.

A missão de encaminhar alunos das salas de recursos para o mercado é relatada no livro “Projeto ASAS Quando a Cidadania vai Além do Direito à Educação”. Na narrativa, são expostas as ações do projeto piloto desenvolvido nas Diretorias de Ensino Centro Sul e Oeste, que formou profissionalmente 71 alunos da rede estadual que atuam em empresas do segmento privado.  

Fonte: Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *