Estado de Goiás recebe duas Centrais de Libras

Compartilhe:

O secretário nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Antonio José Ferreira, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), participou nesta terça-feira (29), em Goiânia, da cerimônia de entrega equipamentos para a composição de duas Centrais de Interpretação de Libras para o estado de Goiás.

A implantação das Centrais é de iniciativa da SDH/PR em parceria com os Governos dos estados e municípios.  A solenidade de entrega aconteceu no Centro de Referência da Pessoa com Deficiência, da capital goiana, onde ficaram as duas.

O kit de equipamentos que é doado pela SDH/PR é composto por 3 mesas de trabalho, 3 cadeiras e 2 armários; 1 computador e uma webcam, 1 impressora e 1 aparelho de telefone fixo tipo headset, além de um veículo pálio weekend 4 portas.  Em contra partida os estados e municípios ficam com a responsabilidade de prover intérprete de LIBRAS, espaço físico para colocação do mobiliário cedido, materiais de escritório, motorista, recursos periódicos para manutenção e abastecimento do veículo, linhas de telefone fixo e móvel ativas. Ao todo serão entregues 37 centrais em todo o país.

Na ocasião, o secretário Antonio José explicou que as Centrais proporcionarão às pessoas surdas maior autonomia, permitindo um acompanhamento agendado de um intérprete para tarefas comuns das pessoas surdas em estabelecimentos comerciais, órgãos públicos, entre outros. “Com essa iniciativa estamos dando um importante passo para quebrar mais uma barreira que as pessoas com deficiência auditiva ainda enfrentam para se comunicar. Esse é mais um avanço nas conquistas dos direitos das pessoas com deficiência” disse o secretário.

O evento contou com a presença da superintendente de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Goiás, Maria de Fátima Rodrigues, do presidente da Associação dos Surdos do Estado, Marcos Vinícius, da presidente da Associação das Mulheres Surdas, Vera Balbino, do Vereador de Goiânia, Tiago Albernaz, do secretário de Cidadania e Trabalho, deputado Henrique Arantes, do secretário de Meio Ambiente do Estado, Leonardo Vilela,  e do presidente do Conselho Estadual das Pessoas com Deficiência de Goiás, Alisson Azevedo.

Fonte: Secretaria de Direitos Humanos

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *