Instituto do RS disponibiliza e-books gratuitos e voltados a pessoas com deficiência

Compartilhe:

Os e-books, livros digitais, cada vez mais têm atraído a atenção dos leitores. A chance de aprender, de ler histórias e de conhecer um mundo novo pode ser compartilhada. Com o avanço tecnológico, os leitores do Rio Grande do Sul já têm mais de 25 mil e-books em português à disposição. Desses, cerca de 7 mil títulos podem ser lidos de graça.

O Instituto Estadual do Livro no RS é uma das instituições que já disponibiliza os livros digitais gratuitamente. Também são oferecidas obras para pessoas com deficiência visual e auditiva. "Na verdade é uma maravilha para todo mundo. A letra pode ficar maior e as pessoas podem preferir ler e não ouvir", explica Laís Chaffe, diretora da entidade.

Para o empresário Eduardo Melo, os e-readers, ou seja, os equipamente exclusivos para a leitura, não caíram no gosto do brasileiro, mas o iPad, por exemplo, todo mundo conhece. Com a entrada dos tablets, vários autores começaram a ter as obras digitalizadas ou publicar direto na internet. "Todas as livrarias grandes que comercializam ebooks em português oferecem opções gratuitas. São coleções de editoras, livros de autores oferecidos gratuitamente", explica Melo.

Para incentivar o gosto pela leitura, uma escola promove desde cedo o contato dos alunos com os tablets. "Assim eles se tornam leitores e também desbravadores de novos conhecimentos, leitores do mundo digital", conta Ana Margarida Chiavaro, coordenadora pedagógica da educação infantil. Já para os alunos maiores, há outra maneira de incentivo.

Além de poderem ler, os estudantes também produzem os ebooks. "Se a gente acredita que a escola é uma experiência para a vida, então isso também faz parte da aexperiêcia. O aluno vai experimentar coisas agora, para que no futuro ele também seja um leitor de ebooks e de outras plataformas", conclui Adriana Gandin, especialistas em tecnologia da educação.

Fonte: G1

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *