Desfile apresenta vencedores do 5º Concurso Moda Inclusiva

Compartilhe:

Na noite da última terça-feira, 19 de novembro, aconteceu no Mube – Museu Brasileiro de Escultura, em São Paulo, o Desfile do 5º Concurso de Moda Inclusiva, que apresentou os três vencedores deste ano, de uma lista de 20 finalistas.

Com o intuito de trazer à tona a discussão sobre moda acessível a todos, o evento também contou com o II Fórum Internacional de Moda Inclusiva e Sustentabilidade, que ocorreu durante a tarde, no mesmo local. 

O objetivo de ambos é promover o debate sobre moda diferenciada e acessível, além de incentivar o surgimento de novas soluções e propostas em relação ao vestuário para as pessoas com deficiência.  

Estiveram presentes no desfile a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, o Secretário Adjunto da Pasta, Marco Antonio Pellegrini, a Secretária Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Marianne Pinotti e o Presidente do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência – CEAPcD, Ronilson Aparecido da Silva. 

O Concurso Moda Inclusiva selecionou os vinte melhores trabalhos, que participaram da segunda fase: a confecção de suas peças. Os vinte “looks” selecionados foram apresentados ao corpo de jurados no Desfile de Moda Inclusiva. Neste ano, o Concurso contou com finalistas de diversos municípios do Estado de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Amazonas, além de participação da Índia. 

A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, falou sobre a influência do Brasil no meio da moda inclusiva e a importância da discussão sobre a temática. “O Brasil não é apenas pioneiro da Moda Inclusiva, é protagonista. Esse novo conceito de moda vai abraçando cada cidadão, transformando a sociedade cada vez mais solidária. É uma alegria imensa recebê-los aqui e ver os nossos alunos, estilistas, e modelos que vão desfilar na Moda”.

Dra. Linamara também falou sobre a importância de uma interlocução sobre o tema e parabenizou Daniela Auler, coordenadora do Concurso. “Tudo se deve a Daniela Auler, que realmente materializa aquilo que chamamos de políticas transversais, quando há a interação da sociedade”. A Secretária continuou: “nós acreditamos na mudança que o mercado pauta, é preciso que o mercado se aproprie de uma ideia e que os fabricantes e consumidores entendam a grandeza do conceito, para que o agente público possa entrar como o mobilizador, e depois de algum tempo, como espectador”.

Os vencedores da noite foram Nadir Rodrigues de Almeida, em terceiro lugar, de Sorocaba (SP), com look desfilado pelo atleta do Time São Paulo, Bruno Landgraf; Eligolande Furtado, de Pelotas (RS), em segundo lugar, tendo seu look desfilado por Thiago Cenjor; e Patrícia Helena Galves, a grande vencedora, de São Paulo, capital, com a modelo Maiara Barreto.  

O look de Nadir Almeida buscou transformar uma calça jeans em algo mais confortável para os homens cadeirantes. Com fechamento lateral em velcro e bolsos internos, a calça torna-se o ponto forte da combinação. Eligolande trouxe para seu look mobilidade em um casaco, para homens cadeirantes. O estilista trouxe um sistema de articulação interno coberto com plástico em todo o look, além de uma abertura na gola. A estilista Patrícia levou à passarela um look totalmente usual para mulheres cadeirantes. O casaco com cotoveleiras com malha e abertura no decote visam dar mais segurança, além disso, a calça com bolsos diferenciados, joelheiras e a parte de trás de malha proporcionam conforto e praticidade, conquistando os jurados, que deram a este look o primeiro lugar.

Foto: Simone Nieves
Fonte: Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *