Rio de Janeiro é o campeão das Paralimpíadas Escolares 2013

Compartilhe:

O Estado do Rio de Janeiro sagrou-se campeão das Paralimpíadas Escolares 2013. Com 548 pontos, os fluminenses superaram os paulistas, que terminaram com 503 pontos, e os catarinenses, com 364. Este foi o terceiro título do RJ na competição. Eles também venceram em 2010 e 2012. Minas Gerais levou o prêmio “confraternização”, que coroa a delegação mais animada, organizada e com espírito esportivo.

O Estado vencedor é determinado pela quantidade de pontos atingidos em cada modalidade, de acordo com a colocação das equipes ao final das disputas.

Os fluminenses receberam o troféu de grande campeão na noite desta sexta-feira, 29, no Parque Anhembi, das mãos de Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e recém-eleito vice-presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC na sigla em inglês). Em seu discurso de encerramento, Parsons parabenizou a todos os atletas e agradeceu aos parceiros do Comitê na organização da competição: o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, e com a Prefeitura da capital paulista.

“As Paralimpíadas Escolares são a primeira competição de muitos de vocês e é fundamental que vocês levem o esporte no coração de vocês e para a vida. Esporte é saúde, é integração”, comentou Parsons. O presidente ainda ressaltou a importância da competição para a descoberta de novos talentos no paradesporto. “Tenho certeza de que veremos alguns de vocês em 2016. Investimos em vocês porque sabemos que, daqui, sairá o próximo Daniel Dias, o próximo Alan Fonteles, Antônio Tenório”, afirmou, citando alguns dos mais premiados atletas paralímpicos brasileiros da atualidade.

A banda Viva Noite, do programa Pânico da TV, ficou responsável pela animação da festa. Todos os atletas se reuniram no salão e, bastante animados, curtiram a cerimônia de encerramento.

As disputas das Paralimpíadas Escolares começaram no dia 26 e reuniram cerca de 1.300 atletas, de 12 a 20 anos, de 25 estados do Brasil, mais Distrito Federal, em 10 modalidades (bocha, judô, tênis de mesa, voleibol sentado, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (paralisia cerebral), goalball, tênis em cadeira de rodas, natação e atletismo). Vinte e dois atletas do Reino Unido também participaram da competição a convite do CPB. Os jogos encerraram o calendário 2013 de competições nacionais do Comitê.

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *