Deficientes visuais são diplomados como radialistas em Teresina

Compartilhe:

Dezoito pessoas com deficiência visual foram diplomadas como radialista profissional. A solenidade de entrega ocorreu na sexta-feira (06), às 18h30, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas, Centro de Teresina (PI). De acordo com Iraildo Mora, presidente do instituto Comradio, os profissionais tiveram aulas durante um ano, por meio do projeto Um Olhar para a Cidadania. 

“Isso mostra que não existe barreiras para quem der ser alguém na vida. Esses formandos são exemplos para todos. O momento é bem especial para todos nós que fizemos parte dessa história”, contou.

Antonildon Marques, com deficiência visual desde que nasceu, é um dos formandos e disse que uma das maiores descobertas na sua vida foi entender que o papel da comunicação é fundamental para fortalecer a garantia da cidadania. “Não queremos privilégios, apenas uma atenção específica e adequada. Somos pessoas como qualquer outra pessoa. Cada um tem sua história e nenhuma anula a do outro. E por meio do rádio, que também é “cego” como eu, poderei dizer e fazer pessoas refletirem e agirem sobre o meu mundo que é o mesmo mundo de todos nós”, falou Antonilton.

Para Isaias Pereira da Silva, também com deficiência visual, a formatura mostra que todos têm o mesmo direito e que não existe pessoa incapaz. “Todos nós somos capazes de um dia chegar onde deseja, só precisa ter força de vontade. Não existe ninguém melhor que outra pessoa, todos somos iguais. A deficiência só se torna um problema se a pessoa pensar negativo, pelo contrário se torna mais um incentivo”, relatou Isaias.

Os novos radialistas receberão o registro na carteira profissional, emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego válido em todo o Brasil. O projeto ‘Um Olhar Para a Cidadania’ é executado desde 2011 pelo Instituto Comradio do Brasil.

Fonte: G1 Piauí

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *