Deficiente visual dá lição de vida, forma-se em Direito e passa na OAB

Compartilhe:

Ano Novo é sinônimo de esperança. E para começar 2014 com o pé direito, nada melhor que um bom exemplo de superação. Em São Lourenço (MG), um jovem de 24 anos mostra que não há limites para quando você quer atingir um objetivo. Diego Corrêa se formou em Direito em 2013 e de quebra, passou de primeira no exame da OAB. Algo que seria comum, se o nosso personagem em questão não tivesse 100% de deficiência visual.

Com nascimento prematuro, aos 6 meses e meio de gestação, Diego precisou ficar dois meses internado em uma incubadora. Mas um excesso de oxigênio no equipamento queimou suas retinas. A deficiência visual só seria descoberta pela família quando o menino já tinha 6 meses de vida. Aos 3 anos, Diego entrou na escola e começou a ser alfabetizado com a ajuda de letras feitas em isopor. Na época, nenhuma escola da cidade oferecia a alfabetização em braile.

"Só aos 6 anos comecei a ser alfabetizado em braile e iniciei o ensino fundamental. Às vezes tinha que recorrer a parentes e amigos para que pudessem ler o material pra mim. Mas sempre contei com os professores, que me ajudavam como podiam", conta Diego.

Mesmo com as dificuldades, Diego foi conseguindo conciliar os estudos e a deficiência. O esforço que ele demonstrava resultou em uma bolsa de 100% que o fez estudar da 5ª série do fundamental até o Ensino Médio sem pagar nada.

"Nunca me senti prejudicado perante os meus colegas. Sempre fui incluído. Eles até 'brigavam' para sentar do meu lado e me ajudar. Os professores me ajudavam os materiais (especiais) me ajudavam. Foi tranquila esta parte", disse ele.

Nem o curso de Direito, que exige muito estudo por parte do aluno, assustou Diego. Para isso, ele contou com o que chama de "conjunto de fatores", que o ajudaram. Entre eles, está o uso de um programa de computador que traduz para ele em forma de áudio tudo o que está escrito na tela.

"Eu sempre li bastante, com o auxílio de livros em braile e esse programa, sempre estudei muito. Sempre gostei de história, de leis, de Ciências Humanas. Tive o mesmo material que os colegas tiveram. Competiu a mim sentar e estudar muito. Foi um conjunto de fatores que contribuíram. A internet ajudou muito também, já que através dela pude consultar leis e todo o conteúdo", conta Diego.

A força de vontade emociona amigos que acompanharam de perto a trajetória do estudante, como Fabiano Moutinho, amigo de Diego desde os 11 anos.

"Desde pequeno ele foi muito esforçado, nunca se abateu. O que ele tinha vontade fazia: andava de bicicleta, jogava bola, ele desenvolveu habilidades porque é muito dedicado e por isso conseguiu tudo. De primeira ele passou na OAB, Deus foi muito bom com ele. Outro dia ele me contou que tinha apenas 5% de chances de sobreviver. Ele é uma prova de que a gente sempre consegue o que quer. O exemplo dele é pra gente não desanimar com qualquer coisa não", diz Moutinho.

Agora, o objetivo de Diego é estudar para concursos e advogar. Para quem tem objetivos em 2014 e acha que terá dificuldades pela frente, o novo bacharel dá o recado.

"Nós precisamos acreditar em Deus, que nos dá força para prosseguir. Que as pessoas lutem por seus objetivos e que nunca desistam", diz Diego Corrêa.

Fonte: G1
Foto: Arquivo Pessoal

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *