A arte acessível para pessoas com deficiência

Compartilhe:

O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Belo Horizonte criou um atendimento para pessoas com deficiências visual e auditiva. Com a inauguração da Estação Sensorial, o visitante tem uma aula sobre história da arte a partir da história da escultura. O participante é convidado a manusear réplicas de importantes esculturas que representam períodos fundamentais da arte, como a Idade Média, períodos clássicos, e outros. Além disso, recebe informações sobre a importância dessas obras manuseadas.

Outra novidade apresentada pelo CCBB é o atendimento a pessoas com deficiência auditiva, disponibilizando um educador em libras.

Segundo a coordenadora do centro cultural, Adriana Xerez, o projeto foi totalmente pensado para auxiliar pessoas com deficiência que desejam ter acesso a obras de arte. “O projeto mostra que o centro cultural é um espaço de todos. A intenção é trazer um panorama da história das esculturas para que os visitantes que tenham a limitação da visão possam perceber, através do tato, como foram as transições das esculturas ao longo do tempo”, explica.

Matheus Rocha, um dos educadores responsáveis por conduzir as visitas às obras, conta como tem sido a experiência. “É gratificante. Como o participante não pode ver a arte, ele já chega aqui no centro cultural com muita vontade de aprender, de entender sobre a obra. Assim, todas as informações passada a eles são bem-recebidas”, disse.

O CCBB-BH fecha hoje e amanhã e reabre na quinta-feira.

Agenda

O quê: Estação Sensorial do CCBB-BH

Onde: Centro Cultural Banco do Brasil (Circuito Cultural Praça da Liberdade, 3431-9400)

Quando: Diariamente, das 9h às 21h, exceto terça-feira. Os serviços com professores de libras para deficientes auditivos acontece apenas pela manhã

Quanto: Entrada franca

Fonte: O Tempo

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *