Projeto Experimentando Diferenças permite experimentar esportes paralímpicos

Compartilhe:

Depois do sucesso de 2013, com edições realizadas em Brasília, São Paulo, Salvador e Niterói (RJ), o Projeto Experimentando Diferenças chega à Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro para conquistar o público com momentos únicos ao lado de medalhistas paralímpicos e da vivência em algumas modalidades especificas como futebol de 5 (para cegos), basquete em cadeira de rodas e atletismo em cadeira de rodas. O evento acontece entre os dias 10 e 22 de janeiro, em uma arena poliesportiva que estará montada no Madureira Shopping, das 10h às 22h.

Com a chancela do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e patrocínio da Loterias Caixa, a ação apresenta um palco cenográfico de 180m² construído especialmente para o evento. No espaço, o público irá vivenciar emoções semelhantes àquelas sentidas pelos atletas nos esportes: futebol (chute a gol) com olhos vendados e utilizando a bola sonora, corrida, basquete em cadeira de rodas, entre outros. Um grupo de 16 monitores auxiliará as pessoas nas atividades esportivas e, diariamente, um medalhista paralímpico irá visitar o espaço para uma tarde de autógrafos e interação com o público.

O público infantil também participa da ação brincando com um game com a temática dos esportes paralímpicos especialmente desenvolvido para o evento. “Estamos trabalhando desde agora para sensibilizar o público para a competição em 2016, além de incentivar a experimentação de novas sensações e promover a quebra de paradigmas”, explica Fernando Rigo, organizador do evento.

Simultaneamente à arena de experimentação, ganha destaque a exposição fotográfica Caravana Vencedores, composta por 60 imagens capturadas pelo premiado fotógrafo Sérgio Dutti, publicadas no livro Vencedores, que retratam a preparação e o desempenho dos atletas brasileiros nas Paralimpíadas de Londres.

Dutti já recebeu importantes prêmios como Vladimir Herzog e Prêmio Abril de Fotojornalismo. “Após cobrir política e economia e acompanhar dramas sociais e catástrofes, esse trabalho me deu a oportunidade e a honra de assinalar em meu currículo uma experiência fabulosa, que espero continuar desenvolvendo”, comenta o fotógrafo.

SERVIÇO
Projeto Experimentando Diferenças e Exposição Fotográfica Caravana de Vencedores, de Sergio Dutti
Data: 10 a 22 de janeiro de 2014, das 10h às 22h
Local: Madureira Shopping, na Praça de Eventos no 1º piso (Estrada do Portela, 222 – Madureira/RJ)
Entrada Franca

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *