‘A menina do cabelo vermelho’ será encenada em Porto Alegre (RS) com recursos de acessibilidade

Compartilhe:

Agarrada à sua pipa, Filó vai voar pelo palco do Auditório do Centro Cultural CEEE – Erico Veríssimo no próximo dia 18 (sábado), às 16h, em Porto Alegre (RS), e ninguém vai perder um só detalhe de suas aventuras. Tudo porque a peça A Menina do Cabelo Vermelho, da Las Brujas Cia de Teatro e Feitiços, terá audiodescrição e interpretação em Libras, a Língua Brasileira de Sinais. Assim, a criançada, familiares e amigos com deficiência visual ou surdos poderão acompanhar cada trecho da jornada de Filó mundo afora. A entrada é franca, mas os ingressos devem ser reservados antecipadamente pelo e-mail tagarellasproducoes@gmail.com ou fones (51) 3414 4690, (51) 8451 2115 ou (51) 3384 1851.

A audiodescrição, que será transmitida de modo aberto, para toda a plateia, começará às 15h40, com a descrição dos personagens, figurinos e cenários. O roteiro é de Lolita Goldschmidt, que também interpreta Filó, com revisão de Mimi Aragón e Kemi Oshiro, consultoria de Mariana Baierle e narração da atriz Lívia Dávalos. A assessoria para a produção da audiodescrição é da Tagarellas Audiodescrição e a tradução e interpretação em Libras é de Joana Amaral.

A Menina do Cabelo Vermelho, patrocinada pelo Prêmio Myriam Muniz 2012, é a primeira montagem da Las Brujas Cia de Teatro e Feitiços e foi inspirada no livro homônimo escrito por Lolita Goldschmidt. A peça busca transmitir às crianças valores como curiosidade e respeito às diferenças físicas, culturais, sociais e raciais entre as pessoas. A personagem central é Filó, uma menina de cabelos vermelhos que gosta de imaginar muitas histórias. Por ser diferente e sem amigos, ela se sente sozinha, em um universo sem cor. Levitando em sua imaginação, seu mundo gira em torno de objetos da casa, com os quais ela fala “pelos cotovelos” em seus devaneios. Até que um dia, brincando com sua pipa, Filó engata nos pensamentos e o vento sopra forte… Ela voa mundo afora, passando por vários países, onde se depara com pessoas, roupas e hábitos distintos. Pelo caminho, vive situações de medo, coragem, amizade, amor e, principalmente, graça e humor. Descobre no trabalho em conjunto, no respeito às diferenças e no companheirismo, a superação de suas dificuldades e a alegria de viver. Quando retorna para casa, conquista amigos e vira referência entre as crianças, a quem encanta com suas histórias. No final da peça, um atrativo a mais: serão distribuídos ao público livros e audiolivros com a história original de Filó.

A Menina do Cabelo Vermelho une diferentes linguagens, como teatro de atores, vídeo, teatro de objetos e de sombras sob a direção de Daniel Colin, um dos profissionais mais renomados e premiados do teatro gaúcho na última década. No elenco, além de Lolita Goldschmidt, estão Diana Manenti, Denis Gosch e Douglas Dias, que conquistou no final de 2013 o Prêmio Tibicuera de Melhor Ator Coadjuvante por seu desempenho na peça.

Serviço
Peça infantil A Menina do Cabelo Vermelho  com audiodescrição e tradução e interpretação em Libras
Data: 18 de janeiro de 2014 (sábado).
Hora: 16h (recomenda-se chegar 30 minutos antes do espetáculo).
Local: Auditório do Centro Cultural CEEE – Erico Veríssimo (Rua dos Andradas, 1223).
Ingressos: Entrada franca. Reservas antecipadas pelo e-mail tagarellasproducoes@gmail.com ou fones (51) 3414 4690, (51) 8451 2115 ou (51) 3384 1851.
Duração: 50 minutos.
Ao final da peça haverá distribuição de livros e audiolivros com a história original da Menina do Cabelo Vermelho.

Ficha técnica da peça
Direção: Daniel Colin
Dramaturgia: Lolita Goldschmidt e Daniel Colin
Elenco: Diana Manenti, Denis Gosh, Douglas Dias e Lolita Goldschmidt
Preparação vocal: Gisela Habeyche
Preparação corporal: Lolita Goldschmidt
Instrumentalização da manipulação de objetos: Cia Gente Falante
Iluminação: Leandro Gass
Cenografia: O grupo e Mario Cavalheiro
Vídeo: Thais Fernandes
Operação de vídeo: Ricardo Zigomático
Arte gráfica: Ricardo Zigomático e Sheila Trettin
Adereços: Margarida Rache
Figurino: Claudio Benevenga
Trilha sonora: Moysés Lopes
Fotografia: Renata Ibis e Pedro Lunaris
Produção: Diana Manenti e Lolita Goldschmidt
Assessoria de Imprensa: Adriana Lampert
Libras: Joana Amaral

Ficha técnica da audiodescrição
Roteiro: Lolita Goldschmidt
Revisão: Mimi Aragón e Kemi Oshiro
Consultoria: Mariana Baierle
Narração: Livia Dávalos
Produção: Tagarellas Audiodescrição

Fonte: Tagarellas Audiodescrição

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *