Não contratação de deficientes gera 280 ações contra empresas no Piauí

Compartilhe:

A norma que obriga empresas a contratarem pessoas com deficiência não esta sendo cumprida adequadamente em Teresina (PI). Atualmente, existem 280 procedimentos do tipo registradas no Ministério do Trabalho na capital. Segundo a procuradora do trabalho Maria Elena, algumas empresas se recusam a contratar deficientes mesmo com o risco de multa. Ainda de acordo com ela, a dificuldade é equivalente ao grau da deficiência.

“As empresas não podem fazer isso. A lei é genérica e estabelece um percentual sobre o número total de empregados. A norma não especifica deficiências mais graves ou mais leves, como também não exigem grau de qualificação. O que é certo, é que ela vale para todas as pessoas com deficiência”, afirmou.

A diretora do Sistema Nacional de Empregos (Sine), no Piauí, Betânia Rios, confirmou que a situação ocorre com frequência. “O deficiente sai do Sine com uma carta de encaminhamento do Ministério do Trabalho para se dirigir a empresa e ser contratado. Contudo, chegando no local a empresa exige que o ele tenha um menor grau de deficiência, mesmo sem poder fazer isso”, relatou.

O desempregado Francisco José Junior contou que já sentiu na pele a descriminação praticada pelas empresas teresinenses, na hora de contratar deficientes. “Na hora do processo, alegaram que eu não tinha qualificação suficiente para o cargo, mesmo já possuindo experiência na área. Os empresários não tem o pensamento de nos inserir no mercado de trabalho, a intenção deles é apenas o lucro”, disse.

Fonte: G1 Piauí