Pessoas com deficiência: Prefeitura inicia instalação de academia especial em São Roque

Compartilhe:

São Roque (SP) terá uma academia pública para pessoas com deficiência física nas próximas semanas. A novidade, que beneficiará pessoas com essa necessidade, começou a ser implantada nesta semana nas dependências do Estádio Municipal Quintino de Lima (Quintinão), no bairro Junqueira. Os equipamentos de musculação e ginástica são adaptados e ficarão ao ar livre. Os aparelhos são práticos, funcionais e seguros.

A academia foi um pedido especial do prefeito de São Roque, Daniel de Oliveira Costa à deputada estadual Rita Passos que adquiriu o equipamento junto ao Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

O governo já fez a entrega do material que está em processo de instalação. De acordo com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o uso dos equipamentos de musculação adaptados, contribui para melhorar a capacidade física, a postura, a mobilidade e independência e, ainda proporciona qualidade de vida a essas pessoas.

Para o prefeito de São Roque o benefício é mais um dentro do projeto voltado a essa necessidade. “Nós temos um compromisso e um dever muito grande com pessoas com deficiência e essa academia é um dos projetos que estamos levantando. Na cidade continuamos trabalhando vários aspectos para a acessibilidade, principalmente com relação a sinalização, espaço, adaptações e faremos muito mais. Vamos atrás de mais equipamentos e recursos também voltados para essas pessoas. Quero agradecer e deputada Rita Passos e ao Governo por essa parceria que tenho certeza que vai ajudar muitas pessoas e que possamos fazer ainda muito mais”, finaliza o prefeito Daniel.

O Departamento de Esportes de São Roque deve informar nos próximos dias a partir de quando os aparelhos estarão liberados. Nesse momento estão sendo adequados no local.

Fonte: www.guiasaoroque.com.br

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *