OMS decreta emergência sanitária por causa de poliomielite

Compartilhe:

A Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou nesta segunda-feira emergência sanitária mundial devido ao aumento dos contágios por poliomielite nos últimos seis meses. No período, foram detectados casos em mais de dez países.

A decisão foi tomada depois de várias reuniões do Comitê de Emergência da OMS, formado por especialistas no assunto, que recomendaram a declaração do estado de emergência porque os contágios podem representar uma ameaça a todo o mundo.

"Depois de discussões e deliberação sobre as informações fornecidas e no contexto da iniciativa global de erradicação da polio, o comitê entendeu que a propagação da polio em 2014 constitui um 'evento extraordinário' e um risco de saúde pública para outros Estados, para os quais uma resposta internacional coordenada é essencial", informou a OMS.

Para a organização, se essa situação não for administrada, a proliferação da doença poderá significar a falha da erradicação da poliomelite no mundo, uma das doenças mais sérias que podem ser prevenidas por meio de vacinação.

De acordo com dados da OMS, 60% dos casos de polio foram resultado de contaminação por poliovírus selvagem, facilitada pela proliferação por adultos em viagens. Constatou-se que, em 2014,  já houve a proliferação do vírus em três dos dez países contaminados – na Ásia Central (do Paquistão para o Afeganistão), no Oriente Médio (da Síria para o Iraque) e na África Central (de Camarões para a Guiné Equatorial).

"As consequências de mais proliferação internacional são particularmente agudas atualmente, dada a grande quantidade de Estados livres da polio, porém frágeis por conflitos que comprometeram severamente a rotina dos serviços de imunização e que têm alto risco de recontaminação. Esses países teriam extrema dificuldade em organizar uma resposta caso o vírus selvagem seja reintroduzido", segundo a OMS.

Os dez países em que a organização considera que há contaminação por poliomielite são: Paquistão, Camarões, Síria, Afeganistão, Guiné Equatorial, Etiópia, Iraque, Israel, Somália e Nigéria.

Fonte: Terra