Fundação Dorina Nowill lança livro inédito em braille

Compartilhe:

Imagine receber um livro totalmente em braille sem ser uma pessoa com deficiência visual. O que você faria? Como obteria a informação deste material? É essa a distância de informação que existe quando alguém cego ou com baixa visão tem em mãos uma obra sem acessibilidade. É esse despertar de consciência, com a sensação gerada pela surpresa, curiosidade e até mesmo inquietação que a Fundação Dorina Nowill para Cegos busca como resultado do projeto Palavras Invisíveis.

O livro Palavras Invisíveis é uma obra com textos inéditos dos principais nomes da literatura brasileira atual publicados primeiramente em Braille, que reforça o conceito de inclusão cultural. Luis Fernando Verissimo, Lya Luft, Eliane Brum, Ivan Martins, Fabrício Carpinejar, Martha Medeiros, Tati Bernardi, Carlos de Britto e Mello, Antonio Prata e Estevão Azevedo foram os autores convidados que escreveram textos para a iniciativa a partir do tema Tudo aquilo que não se pode ver.

O projeto foi criado pela agência DM9Sul com o objetivo de alertar a população sobre a necessidade do acesso universal à cultura, já que atualmente mais de 95% das obras disponíveis no mercado editorial brasileiro não possuem versão em braille. “Além de sensibilizar, o projeto pretende engajar a sociedade para atuar na mudança dessa realidade”, diz Márcio Callage, presidente da DM9Sul. A iniciativa conta com patrocínio da Novo Nordisk, empresa dinamarquesa de cuidados com a saúde.

A Fundação Dorina Nowill possui uma das maiores imprensas braille do País e já produziu mais de seis mil títulos e dois milhões de volumes impressos em braille, além de 2500 obras em áudio e cerca de outros 900 títulos digitais acessíveis. Mas esses números ainda não são suficientes para atender o mercado brasileiro.

“Queremos provocar as editoras para que os lançamentos de livros impressos em tinta também sejam disponibilizados em formatos acessíveis, permitindo o acesso total à cultura”, afirma Adermir Ramos da Silva Filho, superintendente da Fundação Dorina. “Ao chamar a atenção para a causa da deficiência visual e para a importância do acesso universal à cultura, há uma via para sensibilizar a sociedade quanto à escassez de material literário acessível no mercado”, acrescenta.

O livro Palavras Invisíveis chega ao mercado em maio e será enviado para as principais bibliotecas públicas do Brasil. A obra estará disponível também na versão audiobook e terá um hot site com todas as informações sobre o projeto. A página http://palavrasinvisiveis.com.br/ apresentará vídeos de pessoas com deficiência visual lendo os textos publicados, opção para download de audiobooks e ainda um gerador de tweets em braille, que permitirá ao público postar dessa forma em seus perfis no Twitter e chamar atenção para a causa.