Desfile com cegos e cão guia encerra Casa de Criadores

Compartilhe:

A 35ª Casa de Criadores terminou nesta sexta-feira (6) com um desfile de cegos. Com o tema Novos Olhares, o projeto feito em parceria com a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de São Paulo. Alguns estilistas mostraram peças com texturas diferenciadas e bolsos específicos para facilitar o dia a dia das pessoas com deficiência visual.

Desfilaram pessoas totalmente cegas e outros com apenas parte da visão comprometida. O estilista Arnaldo Ventura mostrou um vestido de lã folgado na altura dos joelhos, fácil de ser colocado (sem botões) para que a bailarina cega Geyza Pereira usasse. Grávida de sete meses, ela mostrou o look e ainda ensaiou alguns passos na ponta, com a sapatilha de balé. O garoto cego foi vestido com camisa, jaqueta e bermuda. Bolsos específicos eram feitos para achar objetos com mais facilidade.

De acordo com o estilista, a pedido dos próprios modelos, as roupas não foram feitas de forma tão diferente das outras. “Eles disseram que o fato de serem cegos já era um diferencial, assim a roupa não precisava também chamar mais a atenção”, afirmou Arnaldo. O resultado são peças de uso para qualquer pessoa, com ou sem deficiência.

O estilista Alê Brito fez uma capa de vinil roxa desfilada por uma jovem que entrou com um cão guia na passarela.  “Uma sociedade que não é capaz de proporcionar condições de convívio e independência ao deficiente visual é uma sociedade com deficiência. Uma sociedade que só percebe a beleza no que consegue enxergar é uma sociedade cega”, diz o manifesto divulgado pelo evento, dirigido por André Hidalgo. Rober Dognani, Walério Araújo, Fernando Cozendey, Weider Silveiro, entre outros, também participaram da ação.

Desfile
O último dia da Casa de Criadores mostrou as criações para o verão 2015 de mais quatro marcas e estilistas: Alê Brito, Trendt, Danilo Costa e Fernando Cozendey. Alê deixou um pouco de lado o trabalho com couro sintético, que sempre o marcou, para usar peças transparentes, de plástico, misturadas com tecidos leves. Danilo Costa manteve-se fiel ao seu lado lúdico, com peças com brilhos para os homens e flores para as mulheres.

A Trendt mostrou um verão mais escuro, apostando em tons de cinza. E Fernando Cozendey, com seu trabalho em Lycra, levou peças com efeito trompe l´oiel, com desenhos engraçados e muitas com mangas mais amplas. A última noite contou ainda com desfiles de peças criadas por alunos do Senac.

Fonte: Terra