Empresas investem no mercado da acessibilidade

Compartilhe:

Em São Paulo, empresários investem na criação e venda de produtos para quem tem deficiência motora, auditiva ou visual.  Para melhorar o desempenho dos negócios, eles recebem orientação de um projeto que une empreendedorismo e acessibilidade. O empresário Renato Laurenti perdeu o movimento das pernas em um acidente de carro há 30 anos. Ele passou a usar cadeira de rodas e percebeu a dificuldade para achar peças para o equipamento.

Há 5 anos, ele abriu uma loja virtual para suprir a demanda no mercado da acessibilidade. Ele vende peças para deixar a cadeira de rodas mais bonita e confortável, com pneus coloridos, bolsas e capas de chuva especiais. Renato participa do Projeto "Sebrae Mais Acessível", que orienta pessoas com deficiência interessadas em montar um negócio, entrar no mercado da acessibilidade e se profissionalizar. Além disso, o projeto sempre incentiva as pequenas empresas a contratar pessoas com deficiência. Após o apoio da entidade, a loja virtual comercializa 1.300 itens por mês, em média, e o faturamento mensal é de R$ 50 mil.

O empresário Nelson Júnior investe no mercado da acessibilidade desde 2006. Ele cria jogos educativos para surdos e cegos, também usados por pessoas sem deficiência. A empresa produz jogos da memória, quebra-cabeças, dominós e investe em brindes com a Língua Brasileira de Sinais e o Alfabeto Braile. O empresário também participa do projeto do Sebrae. Além disso, ele também teve apoio do programa Sebraetec, que oferece auxílio financeiro para a empresa desenvolver produtos.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *