Jardim sensorial de Campos, RJ, é referência para público estudantil

Compartilhe:

Um local de contato direto da população com o meio ambiente, através do tato, do olfato e da audição. O Jardim Sensorial, criado pela secretaria de Meio Ambiente, no Centro de Educação Ambiental, no subdistrito de Guarus, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, está aberto diariamente à visitação pública e tem recebido um grande número de solicitações de agendamento, principalmente pelas escolas de Campos, segundo a secretaria.

O espaço foi criado com o objetivo de dar às pessoas, com qualquer tipo de deficiência, sensações que elas não podem sentir no dia a dia. No local existe a possibilidade do toque nas mais diversas espécies que fazem parte da mostra, como babosa, cactos, saião, arnica, boldo, mercúrio e alfavaca, entre outras espécies, que são desconhecidas por grande parte da população.

“O espaço foi criado para pessoas com deficiência, mas alcançou o interesse de todos, e hoje recebe um grande número de visitantes, interessados em conhecer as plantas de perto e com a orientação de um especialista”, explicou Paula Guedes, gerente do Centro de Educação Ambiental.

Um caminho sensorial foi criado para dar a todos uma sensação de contato dos pés com diversos tipos de terrenos. No caminho, com os olhos vendados, cada um pode sentir o contato coma areia, brita, pó de pedra e grama, se colocando na posição de pessoas com deficiência.

Criado a cerca de um ano, o jardim sensorial está aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Para a visitação das escolas, o agendamento deve ser feito com antecedência no local.

Fonte: G1