Reunião discute participação de pessoas com deficiência em corridas de rua em São Luís (MA)

Compartilhe:

Uma reunião realizada nesta quinta-feira, 24, na 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Pessoa com Deficiência de São Luís (MA), discutiu a participação de pessoas com deficiência nas corridas de rua realizadas na capital. A reunião foi mediada pelo promotor Ronald Pereira dos Santos.

Uma das demandas das entidades que representam os direitos das pessoas com deficiência é pela previsão de categorias para esse tipo de participantes, inclusive para pessoas com deficiência intelectual. Além disso, foi solicitado que a premiação pecuniária das corridas seja igual para pessoas com e sem nenhum tipo de deficiência.

Participaram da reunião o presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, Márcio André Silva Azevedo; o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Maranhão, Dylson Ramos Bessa Júnior; e os atletas Agemiro Medeiros de Sousa, José Antonio Almeida Pereira, Kátia Cristina Barros Cantanhêde e Maria da Conceição Silva Soares.

O representante da Federação Atlética Maranhense (Fama), Márcio Batista Miguens Silva falou sobre as normas que regulamentam as corridas de rua. A Norma 07, que disciplina o reconhecimento e homologação das corridas de rua, por exemplo, é omissa em relação à participação de pessoas com deficiência. O tema também não está previsto na Norma 12, que trata das categorias nas corridas.

O major Arnaldo Martins Macedo, do Corpo de Bombeiros, negou qualquer tipo de discriminação nas corridas e outras atividades desenvolvidas pela corporação. De acordo com ele, o objetivo do Corpo de Bombeiros é fomentar o esporte em São Luís, sem preocupações com ranking, premiação ou categorias.

Ao final da reunião, Miguel Miguens se comprometeu a realizar ampla campanha de divulgação sobre as normas dos eventos esportivos, além de encaminhas à questão à Confederação Brasileira de Atletismo, sugerindo a criação de norma que regulamente a participação de pessoas com deficiência em corridas, defendendo a equiparação das premiações.

Fonte: O Imparcial