Pessoas com deficiência auditiva aprendem a lutar jiu-jítsu em Cachoeiro, ES

Compartilhe:

Quinze pessoas com deficiência auditiva de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, estão fazendo aulas de jiu-jítsu, através do projeto “A Arte Suave de Cachoeiro”, desenvolvido pelo Centro de Atendimento ao Surdo (CAS) do município. A ação tem por finalidade promover a inclusão por meio do esporte, atuando como uma ferramenta de interação social. As aulas são abertas para a comunidade local e os interessados devem ir até o CAS, levando documentos pessoais e comprovante de residência.

As aulas, voltadas para crianças, adolescentes, jovens e adultos, contam com um intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), dando aos estudantes a oportunidade de aprenderem sobre o histórico do jiu-jitsu, golpes básicos, regras, entre outras técnicas da modalidade esportiva.

O mestre de jiu-jítsu, Edson Lázaro, acredita que projeto formará campeões dentro e fora do tatame, pois valores como disciplina, humildade, respeito e educação serão passados aos participantes. “Jiu-jítsu é um esporte que visa totalmente a técnica e a eficiência sobre seu adversário, estimulando o raciocínio rápido e a inteligência na hora de momentos difíceis no combate, um verdadeiro xadrez humano”, explicou o mestre.

Os interessados em participar do projeto “A Arte Suave de Cachoeiro” devem procurar o CAS das 9h às 17h, horário de funcionamento semanal da instituição, e apresentar documentos pessoais e comprovante de residência. Menores de idade só poderão participar mediante a autorização de pais ou responsáveis.

Fonte: G1

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *