Prefeitura de Florianópolis entrega notebooks para alunos com deficiência

Compartilhe:

A Secretaria Municipal de Educação entregou nesta segunda-feira (25) oito notebooks para crianças de escolas e de Centros de Educação Infantil (CEI’s) com alguma deficiência. Os equipamentos estão adaptados para cada caso específico, com aplicativos para atender as necessidades de cada aluno, auxiliando no processo de aprendizado. Além dos notebooks, a Secretaria de Educação também está disponibilizando impressoras em braille.

De acordo com a coordenadora de educação especial, Luciano Marques Nunes, as crianças contempladas com os notebooks vinham apresentando dificuldades no aprendizado. Durante o ato, o prefeito Camilo Martins ressaltou o esforço da Secretaria de Educação em aperfeiçoar os métodos de ensino e aprendizagem. “Hoje temos a nossa disposição recursos tecnológicos e pessoais que nos permitem oferecer um tratamento especial a quem precisa, facilitando o aprendizado destas crianças. Nossa gestão está empenhada em aprimorar os mecanismos de ensino.”

Meta educacional
Facilitar o acesso ao ensino e aprendizagem a todos os alunos é um dos objetivos que a Secretaria de Educação inseriu no Plano Municipal de Educação. De acordo com a secretária Shirley Nobre Scharf, são repassadas orientações para que todos os estudantes sejam realmente inclusos no método de aprendizagem, não apenas com a presença física. “Estes equipamentos tecnológicos facilitam o aprendizado, beneficiando muito estes alunos”, garante.

Rafaela Maria Freitas, gerente de Ensino Fundamental considera cada equipamento adaptado um salto na qualidade do ensino. A opinião é partilhada por Altamir Bressiani, pai de um dos estudantes contemplados. “Meu filho nunca teve um atendimento desse nível. Por isso, faço questão de expressar a minha gratidão a toda equipe da Secretaria Municipal de Educação.”

Em consequência da qualidade de atendimento e ensino oferecida pela Secretaria, está ocorrendo uma migração de alunos da rede particular para a rede municipal de ensino de Palhoça, adiantou a secretária Shirley Scharf.   

Fonte: Floripa News

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *