Projeto qualifica pessoas com deficiência para ingresso ao mercado de trabalho

Compartilhe:

Um projeto da Fundação Roberto Marinho com o Centro de Integração Empresa Escola (Ciee) auxilia pessoas com deficiência a entrarem no mercado do trabalho. A ideia é qualificar os candidatos para as vagas destinadas a eles, já que muitas empresas encontram dificuldades na hora de preencher os postos por falta de qualificação dos candidatos.

Juliano Maciel é quase cego e vencer o obstáculo da limitação é uma alegria a cada dia de trabalho. "A gente faz o desenvolvimento de software para teste em aeronave. A oportunidade já é um sonho realizado", afirma.

Para se adaptar, a empresa em que ele trabalha o auxiliou dando uma atenção individual durante o trabalho. O que ele teve na empresa em que trabalha, qualquer outra de pequeno porte pode oferecer aos seus funcionários com deficiência. "Nosso pensamento é justamente apoiar a capacitação e do ponto de vista interno aprender com eles e sempre ajustar aquilo que haja necessidade", afirmou Mirella Dalla Torre, gerente da Embraer.

No Brasil, empresas de médio e grande porte precisam ter pelo menos 2% dos funcionários com algum tipo de deficiência. A dificuldade é conseguir candidatos qualificados, mas um projeto está facilitando esse caminho para o candidato e para a empresa.

"As empresas enxergaram a possibilidade de contratar o jovem como aprendiz. Porque como aprendiz ela tem a oportunidade de treiná-lo e desenvolvê-lo antes de contratá-lo para cumprir um cota de pessoas com deficiência", disse a supervisora do Ciee Valquíria da Silva.

No curso, as pessoas com deficiência são incluídas em programas de aprendizagem. A jornada de trabalho é dividida entre o treinamento no Ciee e a rotina dentro da empresa. Essas pessoas podem ficar até dois anos como aprendizes, e depois têm a chance de efetivação. 

Fonte: G1