Aumenta a inserção de alunos com deficiência na rede municipal de Petrolina, PE

Compartilhe:

O número de estudantes com deficiência matriculados nas escolas regulares em Petrolina, no Sertão pernambucano, tem sido ampliado. Segundo dados da Secretaria de Educação, atualmente o município possui 591 alunos com deficiência matriculados na rede municipal de ensino. A maioria, com deficiência intelectual.

Destes, 365 têm transtornos globais do desenvolvimento, 91 com deficiência física, 34 com deficiência múltipla, 30 possuem deficiência auditiva ou surdez e 38 deles deficiência visual.

De acordo com a gestora da Escola Estadual Professora Maroquinha, Silvana Mangabeira, nos últimos cinco anos, o número de alunos com algum tipo de deficiência quadruplicou na escola. Em 2009, eram apenas duas crianças e agora já são 20. “Favorece toda uma diversidade. Tanto a questão da aceitação do aluno com necessidade especial, bem como os demais alunos”, comenta a gestora.

A inclusão ainda na infância ajuda no desenvolvimento de todos os alunos. Na sala de aula da Escola da Maroquinha os pequenos aprendem desde cedo a importância da inclusão. Já na Escola Estadual Adelina Almeida, também em Petrolina, os alunos são maiores, mas a inclusão é a mesma. São 95 jovens e adultos especiais inseridos em salas comuns chamadas de inclusivas. A escola conta ainda com salas especiais.

De acordo com a gestora da escola, Margareth Almeida, os estudantes recebem todo o apoio para um aprendizado mais eficiente. “Na sala de educação especial, a pessoa com deficiência tem um professor, um auxiliar e um técnico se for necessário”, garante Margareth. 

Segundo a secretária de Acessibilidade, Roseane Andrade, a maioria das escolas do município ainda está se preparando pra receber os alunos especiais. “A gente tem fiscalizado e apoiado a acessibilidade física e atitudinal porque é preciso preparar as pessoas para receber as pessoas com deficiência sem preconceito”, explica a Roseane.

Fonte: G1