São José dos Campos (SP) terá palestras sobre inclusão de pessoas com deficiência

Compartilhe:

A Prefeitura de São José dos Campos, SP, realiza, a partir da última quarta-feira (5), o 1º Ciclo de Palestras sobre Inclusão das Pessoas com Deficiência. As palestras, que seguem até o dia 19 desse mês, serão na Secretaria de Promoção da Cidadania (Rua Aurora Pinto da Cunha 131 – Jardim América) e abertas ao público. O evento é gratuito e sem a necessidade de inscrição.

Durante os encontros, que são informativos e abertos a questionamentos dos participantes, serão tratados assuntos como os direitos da pessoa com deficiência, o Benefício de Prestação Continuada (BPC), Benefícios Previdenciários do INSS e o comportamento e a sexualidade na deficiência intelectual.

As palestras serão ministradas profissionais da Secretaria de Promoção da Cidadania ligados ao Departamento de Políticas para Pessoas com Deficiência.

De acordo com o Censo do IBGE 2010, em São José dos Campos 17.028 pessoas têm deficiência visual; 6.203 pessoas têm deficiência auditiva; 2.771 pessoas tem dificuldade na mobilidade; 8.106 pessoas com dificuldades motoras graves e 7.526 pessoas com deficiência intelectual.

Programação

Quarta-feira (5)

Direitos da Pessoa com Deficiência (PCD)

18h30
Apresentação do Musical “Dancing Days: Up and Down” da ASIN (Associação para Síndrome de Down)

19h
Palestra – Departamento de Políticas para Pessoa com Deficiência

Quarta-feira (12)

17h

Benefício de Prestação Continuada (BPC) e Benefícios Previdenciários

Maria de Fátima Souza (Assistente Social do INSS)

Quarta-feira (19)

19h

Entendendo o comportamento e a sexualidade na deficiência intelectual

Joana Donatelli Catoira da Silva Carvalho – Psicóloga

Fonte: Prefeitura de São José dos Campos

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *