Feira reúne trabalhos artísticos de pessoas com deficiência em Presidente Prudente, SP

Compartilhe:

Será realizada nesta quinta (6) e sexta-feira (7) a 15ª edição da Exposição e Feira de Trabalhos Artesanais da Pessoa com Deficiência (Expodefic/Feidefic), a partir das 9h da manhã, na Praça 9 de julho, em Presidente Prudente. O evento reúne trabalhos artísticos de pacientes de organizações assistenciais e estarão à venda para os visitantes.

O evento, que tem como objetivo estimular e divulgar o trabalho realizado por pessoas com deficiência e organizações, visa promover a inclusão social e tem como slogan “a arte comprova a capacidade”. “Os participantes se preparam e criam grande expectativa para o evento. Por ser um local de muito movimento, o público é muito grande”, afirma um dos organizadores e integrante da Secretaria Municipal de Cultura, Roberto de Oliveira Rodrigues.

A abertura, que ocorre na quinta-feira, terá apresentação do grupo de dança “Dançando no Escuro”, da Associação Filantrópica de Proteção aos Cegos. Dentro da programação estão atividades como balé, coral, dança e massagem, realizadas pelos próprios pacientes ao público em geral.

Participam da Expodefic as seguintes entidades: Associação Assistencial Adolpho Bezerra de Menezes, União das Pessoas com Deficiência (Unipode), Associação Prudentina de Prevenção à Aids, Ambulatório Regional de Saúde Mental, Associação de Pais e Amigos de Excepcionais (Apae), Associação de Peregrinação do Rosário, Núcleo Ttere de Trabalho e Realização, Sanatório São João, Sala de Recursos para Deficientes Visuais da Escola Estadual Professor Hugo Miele, além da Associação Filantrópica de Proteção ao Cego.

Fonte: G1

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *