Acessibilidade e educação especial a alunos com deficiência são temas de Colóquio na UFSCar, em SP

Compartilhe:

A Comissão Pró-Acessibilidade do Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) realiza no dia 3 de dezembro o "IV Colóquio sobre trabalho pedagógico na Educação Especial: aluno com deficiência no Ensino Superior". A data foi escolhida por ser o Dia Internacional das Pessoas com deficiência, proclamado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1998. O objetivo da data é provocar a reflexão sobre as questões relacionadas aos diversos tipos de deficiência, buscar a inclusão e assegurar os direitos de deficientes na sociedade.

A programação da atividade terá início às 8 horas, com a inscrição e credenciamento dos participantes. Às 9 horas, Heulália Charalo Ranfante coordena o tema "Núcleos de Acessibilidade em outras instituições de Ensino Superior". Mais tarde, das 14 às 17 horas, Kátia Regina Moreno Caiado abordará as "Pesquisas sobre Acessibilidade no Campus" e, a partir das 19 horas, Teresa Cristina Leança Soares Alves trará "Relatos de alunos com deficiência que vivenciam/vivenciaram o Ensino Superior". As três palestrantes são docentes do Departamento de Ciências Humanas e Educação (DCHE) da UFSCar, que presta apoio ao evento junto com as pró-reitorias de Assuntos Comunitários e Estudantis (ProACE) e de Extensão (ProEx).

O Colóquio acontece no Auditório do edifício ATLab e a entrada é aberta a todos os interessados. O Campus Sorocaba da UFSCar fica no km 110 da rodovia João Leme dos Santos (SP-264), estrada que liga Sorocaba à Salto de Pirapora.

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *