Museu Catavento participa da Virada Inclusiva de SP

Compartilhe:

O Catavento Cultural e Educacional, museu de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, participa da 5ª Virada Inclusiva, promovendo visitas guiadas para pessoas com deficiência física, visual ou intelectual, nos dias 6 e 7 de dezembro (sábado e domingo). O evento é idealizado e coordenado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, para marcar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado em 3 de dezembro.

A programação do Catavento seguirá a abordagem já praticada pelo museu em seu roteiro Catavento Acessível, disponível para grupos agendados. Durante a Virada Inclusiva, os visitantes com deficiências poderão participar das visitas sem necessidade de agendamento. O conteúdo a ser abordado é adaptado às necessidades desses visitantes, sempre com ênfase na associação do teor científico das instalações do Catavento com o dia a dia do visitante, de forma lúdica e pautada por exemplos práticos, explorando o lado sensorial para estimular a interatividade do grupo com as atividades propostas.

“A ideia é que as pessoas com deficiência recebam atenção de acordo com as circunstâncias, para que possam fazer parte do todo. Queremos inseri-las no contexto do Catavento e possibilitar que elas usufruam de todas as possibilidades que o espaço oferece”, esclarece Aline Campana, gerente de visitação do Catavento.

As visitas guiadas da Virada Inclusiva ocorrerão no andar térreo do Catavento. A capacidade de atendimento para cada sessão é de 20 pessoas.

Serviço:

Datas: 6 e 7 de dezembro
Horários: 10h30 e 14h30
Duração: 1h30
Público: pessoas com deficiência física, intelectual e visual
Distribuição de senhas na recepção

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *