Serasa Experian, Citibank e Itaú: as 3 melhores para pessoas com deficiência

Compartilhe:

Aconteceu hoje (10/12), em São Paulo, a cerimônia para divulgação dos vencedores do Prêmio Melhores Empresas para os Trabalhadores com Deficiência. Serasa Experian, Citibank e Itaú lideraram o ranking desta primeira edição da premiação.

Idealizada pela i.Social em parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a iniciativa visa a induzir o processo de inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho, e criar um instrumento adicional de apoio à Lei de Cotas por meio do reconhecimento das boas práticas inclusivas.

Foram avaliados cinco aspectos do ambiente das empresas: acessibilidade, cultura organizacional, gestão de pessoas com deficiência, protagonismo, recrutamento e seleção. Os inscritos responderam a um questionário e, após análise das informações fornecidas, a comissão de seleção visitou as 10 finalistas entre micro, pequenas e grandes empresas com o objetivo de confirmar a veracidade das informações. Após a avaliação da comissão julgadora, foram definidos os vencedores.

A cerimônia aconteceu no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo Paulista, e contou com a presença do governador Geraldo Alckmin, da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, e de diversos representantes da comissão julgadora – formada por personalidades nacionais de destaque na área da inclusão profissional e defesa dos direitos da pessoa com deficiência, como Rodrigo Mendes, do Instituto Rodrigo Mendes, que representou o grupo na cerimônia de entrega.

Informações adicionais podem ser obtidas no site do Prêmio.

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *