Praia Acessível tem início em Praia Grande, SP

Compartilhe:

A partir da última terça-feira (6), a Estação Boqueirão, localizada na altura da Avenida Paris, ganha uma nova atração: o programa Praia Acessível, parceria entre Prefeitura de Praia Grande e governo do Estado de São Paulo. Com oito cadeiras anfíbias em funcionamento e mais duas em reserva, especialmente desenvolvidas para garantir aos cadeirantes o acesso ao banho de mar, o projeto é gratuito, e fica em Praia Grande até 18 de fevereiro, de terça-feira a domingo, das 9 às 17 horas.

Para participar, os interessados devem comparecer ao local, munidos de documento com foto para realização de cadastro, podendo usar as cadeiras imediatamente. É recomendado que o usuário esteja acompanhado, mas caso compareça sozinho, também poderá usufruir da praia e do banho de mar. Para isso, o projeto disponibiliza toda a estrutura necessária, que inclui, além das cadeiras e esteiras, uma equipe de monitores, profissionais de saúde, salva-vidas e banheiro adaptado.

Lançado em 2010, o Programa Praia Acessível tem como objetivo oferecer equipamentos e tecnologia para que pessoas com deficiência possam usufruir da praia e do banho de mar com segurança e dignidade. A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência é responsável pelo fornecimento das cadeiras, já a Prefeitura, pelas equipes de suporte do programa. Os postos que oferecem as cadeiras nas praias contam com facilitadores para prestar atendimento e orientação.

As cadeiras anfíbias são feitas com um tipo de pneu especial, que permite superar a dificuldade de locomoção na areia, e também não afundam na água. Devido a sua altura, é possível o usuário entrar na água, em uma profundidade não perigosa no mar. Existe facilidade na transferência para a cadeira, que possui braços removíveis.

O programa já beneficiou mais de 25 mil pessoas com deficiência e pode ser utilizado por moradores ou visitantes da região. Futuramente, será levado a outras cidades.

Fonte: Diário do Litoral

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *