Exposição Esculturas de Som chega a São Paulo

Compartilhe:

A nova exposição da internacionalmente premiada artista gaúcha Andrea Laybauer proporciona ao visitante uma experiência sensorial através de fotografias que representam músicas. Quando ondas sonoras se propagam através de matéria, é possível VER o som.

Gotas de diferentes líquidos são colocadas sobre uma caixa de som no volume máximo e “dançam” conforme as vibrações sonoras emitidas, formando assim, esculturas líquidas. Enquanto isso, Andrea registra esses momentos através da macrofotografia em alta velocidade, resultando em imagens impressionantes e únicas.

Conhecida pelas suas fotografias de gotas de água e splashes, a artista sempre teve fascínio por essa técnica, pois ela revela ao expectador um verdadeiro mundo de eventos do cotidiano que não percebemos por serem muito pequenos (alguns milímetros apenas) e/ou muito rápidos (acontecem em uma fração de segundo).

Vivenciar a música com o sentido da visão ao invés do sentido da audição, permite que nossa percepção sobre o mundo se expanda e, permite também, que os deficientes auditivos possam ser incluídos nessa experiência visual/musical.

A plasticidade das imagens se deve à escolha de cores, fundos e líquidos. Foram utilizados leite, creme para as mãos, Caladryl (loção pós-sol), maisena diluída em água, silicone, mel e até sangue humano. São 12 fotografias que representam estilos musicais variados. Você verá desde o Hino Nacional Brasileiro até o velho e bom Rock and Roll representado por Led Zeppelin, Queen, Jimi Hendrix, Ozzy Osbourne – passando por bandas nacionais como Barão vermelho e Titãs – e ainda os mitos Bob Marley e Michael Jackson.

No final da exposição, há uma caixa de som e alguns líquidos onde o visitante pode brincar com a técnica tendo a exata noção de como nascem as imagens apresentadas.

Onde: Atelier Andrea Laybauer
Rua Batataes, 196 – Jardins – São Paulo – (11) 28729309
Quando: de 27/1 à 14/2/15, de terça a sábado das 12 às 19 horas
Entrada gratuita
Mais informações pelo e-mail: andrea@andrealaybauer.com

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *