Sites do Governo do Paraná facilitam navegação de pessoas com deficiência

Compartilhe:

O Governo do Estado do Paraná é o único do Brasil a ter audiodescrição nas fotos postadas em sua página no Facebook, recurso que permite que pessoas com deficiência visual possam compreender as imagens. A facilidade para as pessoas com deficiência navegarem na internet não se limita às redes sociais: todos os sites do Governo do Estado têm recursos de acessibilidade.

No Facebook, a iniciativa de criar a audiodescrição começou com solicitações que Débora Kakol, que tem deficiência visual, postava na página do Governo do Paraná. Nas mensagens, ela pedia para as amigas fazerem a audiodescrição. O pedido chegou à equipe da Secretaria Estadual da Comunicação Social e foi atendido.

Todas as publicações agora têm fotos descritas, possibilitando a inclusão de pessoas com deficiência visual. Para ouvir a descrição é preciso somente ter um aplicativo de leitor de tela instalado no computador ou celular, como o JAWS usado por Débora. “Fiquei muito feliz quando soube que as imagens estavam audiodescritas e espero que isso se expanda para outras empresas e órgão de governo, que ainda não perceberam a importância desta ferramenta ”, comenta Débora.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) existem, no Brasil, aproximadamente 16,5 milhões de pessoas com deficiência visual total e parcial, e o acesso à internet por essas pessoas cresce cada vez mais.

Todos os sites do Governo do Paraná têm recursos de acessibilidade, como atalhos de teclado, possibilidade de alteração do tamanho do texto e o contraste de cores para leitura. Além disso, são compatíveis com navegadores modernos e adaptados para funcionar com softwares leitores de tela.

Desta forma, mais pessoas podem acessar informações e serviços ofertados. Débora, que gosta de ler notícias, poderá se informar melhor sobre as ações do governo estadual em diversas áreas. “Sempre quero conhecer novidades, curto várias páginas de jornais e revistas, mas são poucas as que dispõe de mecanismos para facilitar a navegação da pessoa com deficiência”, diz ela.

Neste ano, o governador Beto Richa sancionou a lei 18.419/2015, que estabelece o Estatuto da Pessoa com Deficiência do Estado do Paraná. O documento foi criado para ampliar a inclusão social e garantir cidadania plena às pessoas com deficiência.

O estatuto tem 277 artigos e vai viabilizar uma série de direitos descritos na Convenção Internacional da Pessoa com Deficiência, adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2006. O texto do estatuto foi elaborado com a participação de instituições, pessoas com deficiência e familiares. “Com ele, o Paraná dá mais um passo para ampliar a qualidade de vida, a promoção da saúde, a inclusão social e o fortalecimento dos serviços destinados a estas pessoas”, afirma o governador Beto Richa.

O estatuto aborda diretrizes em áreas como saúde, educação, profissionalização, trabalho, assistência social, acessibilidade, que propiciam o bem-estar social e econômico das pessoas com deficiência. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 20% da população paranaense tem algum tipo de deficiência.

O documento condensa leis federais sobre os direitos da pessoa com deficiência e também alguns itens que não estavam contemplados. Um exemplo é a obrigatoriedade, para shopping centers e restaurantes, de destinar 5% dos lugares acessíveis para refeição nas praças de alimentação para uso preferencial das pessoas com deficiência, em rota acessível.

“Com o documento, temos um maior poder de ação para fazer cumprir as leis e normas técnicas existentes”, diz o assessor para Assuntos da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social, Mauro Nardini.

IGUALDADE – A garantia de direitos iguais a todos os cidadãos é uma prioridade do Governo do Paraná. Uma das medidas determinadas pelo governador Beto Richa foi a criação, em agosto de 2013, do programa Todos Iguais pela Educação.

O programa assegura às escolas básicas de educação especial, mantidas pelas Apaes e outras instituições, os mesmos direitos e recursos destinados às demais escolas da rede estadual.

A medida beneficia mais de 42 mil alunos com deficiência, de diversas faixas etárias. Os recursos estaduais servem para investimentos em pessoal, equipamentos, reformas, merenda escolar e ônibus para o transporte.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *