Atletas com deficiência intelectual participam de exposição em São Paulo

Compartilhe:

O Memorial da Inclusão recebe, durante todo o mês de março, a exposição fotográfica “Sou…”. A mostra conta com 24 fotos de atletas com deficiência intelectual vinculados a Associação de Reabilitação Infantil Limeirense (ARIL). O registro foi feito durante atividades nas Olimpíadas FIDES de Bogotá, em 2013, e também em olimpíadas internas.

A mostra foi clicada pelo diretor e fotógrafo do estúdio Bem Me Ker, Luiz Henrique Beraldo. Ele diz que sua inspiração para fotografar pessoas com deficiência intelectual veio da forma apaixonada com que elas realizam suas rotinas e de sua determinação. “A pureza em seus olhares e em suas ações, em que estão sempre fazendo o bem não importa a quem”, destaca.

Para a gestora do Memorial da inclusão, Elza Ambrósio, exposições como essa possibilitam aproximar o imaginário social do público às diversas manifestações artísticas sobre a vida e a realidade da pessoa com deficiência. “A mostra de fotografias é um convite à participação do público, possibilitando constituir olhares e intervenções interpretativas no que diz respeito às imagens apresentadas”, comenta.

As apresentações seguem no Memorial até o dia 30 de março, podendo ser visitada de segunda a sexta, das 10h às 17h. As mais de 300 fotos sobre o tema, do acervo do fotógrafo, ficarão disponíveis pelo site e rede social do estúdio fotográfico.

Serviço:
Exposição: Sou…
Data: 03 a 30 de março, de segunda à sexta, das 10h às 17h
Local:  Memorial da Inclusão, na sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564, portão 10, Barra Funda – São Paulo/SP –
Telefone: (11) 5212-3700

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *