Projeto FotoLibras expõe fotos realizadas por pessoas surdas

Compartilhe:

O Curso de Fotografia FotoLibras – Foto Escola II realizado pelo segundo ano na Escola Estadual Governador Barbosa Lima, no Recife, traz no mês de março uma exposição sobre o cotidiano da cultura surda. A entrada é gratuita.

O projeto agregou cerca de 20 jovens a partir de 14 anos com encontros em duas tardes por semana entre setembro e dezembro de 2014. Neste período os alunos puderam ter contato com a fotografia, compreendendo-a como uma linguagem expressiva e um poderoso veículo de comunicação.

O intuito principal do projeto era explorar a criticidade de pessoas surdas, mergulhando nas técnicas fotográficas para ampliar o pensamento de uma prática reflexiva sobre a imagem, e não somente o repasse de técnicas e equipamentos, sendo a fotografia vista como parte de um processo de compreensão e percepção do mundo.

A iniciativa é incentivada pelo Funcultura e mantém a proposta do Projeto FotoLibras de multiplicação dos conteúdos com os antigos alunos. Neste curso, João Helder e André Luís foram responsáveis em acompanhar as aulas sob orientação do educador Mateus Sá. Segundo ele, a vivência foi muito construtiva e o interesse dos jovens em aprender e as imagens produzidas refletem isso.

O curso foi dividido em três módulos e os resultados foram medidos por observação e criticidade dos conteúdos, rendendo uma discussão sobre a realidade da cultura surda vista pelo olhar dos próprios surdos.

Fonte: Catraca Livre

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *