Projeto torna obrigatória capacitação de professores em Libras no Piauí

Compartilhe:

O deputado Evaldo Gomes (PTC) apresentou Projeto de Lei que torna obrigatória a capacitação de profissionais da Educação da rede estadual de ensino na Língua Brasileira de Sinais (Libras). O deputado destacou o alto índice de desemprego entre pessoas com deficiência devido à pouca formação dessas pessoas, o que dificulta a entrada no mercado de trabalho.

Ele destaca que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2010, 4.730 dos piauienses não conseguiam ouvir de algum modo, 37.474 tinham grande dificuldade e 143.771 tinham alguma dificuldade de ouvir. Além disso, foi apontado que o Piauí possuía um dos mais altos índices de pessoas com deficiência do país. “Esses números são de cinco anos atrás. Hoje ele deve ser bem maior. É preciso garantir não apenas a formação, mas a inclusão desses jovens nas escolas e nas universidades. Isso só pode ser feito com a qualificação de educadores e de um ambiente adequado para o atendimento aos alunos. A inclusão do deficiente auditivo deve ser integral”, ressalta Evaldo.

Ainda de acordo com o Instituto, em 2010, a população ocupada com pelo menos uma das deficiências investigadas representava 23,6% (20,3 milhões) dos totais ocupadas (86,3 milhões). Das 44 milhões de pessoas com deficiência em idade ativa (com 10 anos ou mais de deficiência), a maioria, 53,8% (23,7 milhões) estavam desocupadas ou não eram economicamente ativas.

Quando se observa o nível de instrução, a diferença é mais acentuada. A Universidade está mais distante para pessoas que possuem alguma deficiência. Para se ter ideia, apenas 6,7% das pessoas com mais de 15 anos com deficiência têm diploma de faculdade. Além disso, 61,1% da população de 15 anos ou mais com deficiência não tinha instrução ou tinha apenas o fundamental incompleto, proporção que caía quase à metade, para 38,2%, para as pessoas dessa faixa etária que declararam não ter nenhuma das deficiências investigadas. “Não restam dúvidas que a formação é essencial para a entrada no mercado de trabalho. Se está difícil para as pessoas ditas 'normais', imagina para os deficientes? É por isso que precisamos garantir as condições dessas pessoas terem mais oportunidades”, explica o deputado.

Depois de apresentado, o projeto segue para a análise das comissões e posterior votação no Plenário. Aprovado, o Projeto vai para a sanção do executivo estadual.

Fonte: Capital Teresina

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *