Segunda edição do VerOuvindo abre as portas do cinema para todos em Recife

Compartilhe:

Filmes pernambucanos e nacionais serão exibidos de graça e com acessibilidade comunicacional de 8 a 12 de abril no Recife. A segunda edição do Festival VerOuvindo traz, para as grandes telas, curtas e longas metragens editados com audiodescrição (técnica de tradução de imagens) e Libras (língua brasileira de sinais). As sessões acontecerão no Museu Cais do Sertão, no Cinema São Luiz.

Durante cinco dias, pessoas com deficiência visual ou auditiva terão acesso a uma linguagem geralmente intraduzível para elas: o cinema. A possibilidade de debater sobre a acessibilidade no audiovisual é também um ponto alto do evento. A proposta é envolver os diretores dos filmes, os profissionais da acessibilidade (audiodescritores e intérpretes de Libras) e o público em reflexões sobre a inclusão de pessoas surdas, cegas ou de baixa visão no cinema e demais aparelhos culturais.

A mesa de abertura será no dia 8 de abril, na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), e contará com a participação da audiodescritora Lívia Motta (SP) e da produtora e narradora Márcia Caspary (RS).

Mostra competitiva
Outro destaque do VerOuvindo é a Mostra Competitiva de curtas nacionais com audiodescrição. Foram inscritos filmes de São Paulo, Rio de janeiro, Brasília, Santa Catarina além dos pernambucanos. Serão premiados: o Melhor Roteiro de Audiodescrição (1º, 2º e 3º lugares), a Melhor Locução e a Melhor Audiodescrição pela escolha do Júri Popular (o público cego poderá votar com cédula braille.)

Haverá também a categoria "Melhor Filme para Reflexão". O reconhecimento será dado à obra capaz de fomentar debates e discussões após sua exibição. A Federação Pernambucana de Cineclubes – Fepec, entidade parceira do festival, é a responsável pelo prêmio.

Homenagem
O grupo de pesquisa da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Tramad é o homenageado deste ano. Eles irão receber o prêmiohors concours da Mostra Competitiva de Curtas com Audiodescrição. O filme A Fábrica produzido pelo grupo será exibido no dia 8, às 18:30, antes da mesa de abertura na Unicap.

Produção da acessibilidade comunicacional
A gravação da acessibilidade comunicacional só foi possível graças à parceria com a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). Já o roteiro da audiodescrição foi elaborado por Liliana Tavares com consultoria de Milton Carvalho. A narração dos filmes é de Marcello Trigo e a leitura das legendas

de Bruna Cortez e de Robson Souza. A tradução e a interpretação da Libras foi realizada por Anderson Almeida com consultoria de Thiago Albuquerque.

Incentivo da Ancine
De acordo com a audiodescritora e idealizadora do evento, Liliana Tavares a segunda edição do VerOuvindo acontecerá em um cenário favorável. “Em dezembro do ano passado, a Ancine estabeleceu que todos os projetos de produção audiovisual financiados com recursos públicos federais deverão ter audiodescrição, Libras e legendas para surdos. É um grande passo para a ampliação do acesso à cultura”, destaca. “O VerOuvindo é o festival que premia esta categoria contemplada pela Ancine. Planejamos, em 2016, premiar audiodescrição em dinheiro com o intuito de fortalecer a produção de qualidade dessa tecnologia assistiva”, completa Liliana.

Programação
Na programação estão os curtas: Olhar Surdo de Cláudia Moraes, Deixem Diana em Paz de Júlio Cavani, Cadeira de Arruar de Chico Egídio, Lua Nova do Penar de Leila Jinkings e os longas Uma passagem para Mário de Eric Laurence e Meninos de Kichute de Luca Amberg.

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *