Programa abre espaço para jovens com deficiência praticarem esportes em Curitiba

Compartilhe:

O projeto Portal do Futuro está abrindo novas perspectivas para jovens com deficiência de Curitiba. Acompanhados por equipes da Prefeitura, eles são estimulados a praticar esportes e se manter em movimento. Lançado em janeiro, o Inclusive no Portal já encaminhou 64 pessoas com deficiência para atividades físicas. O programa prevê a destinação de pelo menos uma vaga, em turmas regulares, para pessoas com deficiência nas atividades físicas e desportivas oferecidas pelos quatro portais da cidade.

A intenção do projeto é aumentar a participação desses jovens nas atividades dos portais, com acompanhamento específico para cada caso. E em pouco mais de três meses já registra resultados positivos. No ano passado, antes do lançamento do projeto, 17 jovens com deficiência iniciaram atividades físicas nessas unidades. Dos 64 encaminhados para atividades físicas, 30 praticam esportes regularmente nos portais do Cajuru, Boqueirão, Bairro Novo e CIC.

Eder Vermelho, de 19 anos, que sofre de deficiência motora devido a um acidente de automóvel, pratica natação no Portal do Futuro CIC duas vezes por semana. Quando começou tinha pouca autonomia e precisava de supervisão constante. “Hoje já consigo nadar sem ajuda e melhorei bastante meus movimentos. Isto tudo graças à natação”, diz.

A natação também vem ajudando o jovem Ronaldo Gonçalves Rodrigues, de 24 anos, a superar problemas causados pela síndrome de Down. Desde março, ele integra uma turma regular de natação no Portal do Futuro Bairro Novo. Ronaldo pratica a atividade física nas horas de folga do trabalho, pois é empregado de um supermercado, e se orgulha de ser um bom nadador. “Gosto do nado de costas. É meu estilo preferido”, afirma

Segundo sua mãe, Iris Rodrigues, a pratica do esporte trouxe melhoras sensíveis à saúde do filho, o que a estimulou a também começar a se exercitar. Junto com o marido, Olival Rodrigues, ela participa de aulas de musculação, também no portal do Bairro Novo. “É uma maneira de estimular o Ronaldo e também levar uma vida mais saudável”, diz.

No caso de Wanderlei Pereira de Souza, de 30 anos, a deficiência não impediu que ele pratique mais de uma atividade. Amputado de uma perna, ele faz natação e musculação no Portal do Bairro Novo. “Até o ano passado eu não praticava nenhum esporte. Desde que comecei, minha saúde melhorou muito”, relata.

Triagem

As pessoas com deficiência que procuram inscrição em qualquer unidade do Portal do Futuro passam por uma triagem e recebem um plano de atendimento, considerando seu caso específico.

O grupo de triagem é formado pelo gestor ou vice-gestor da unidade do Portal do Futuro, um representante do Centro de Referência e Qualidade de Vida e Movimento (CRQVM), da Secretaria Municipal do Esporte Lazer e Juventude, e um representante da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Além do trabalho de avaliação, o CRQVM ainda desenvolve um projeto de capacitação, teórica e presencial, e de orientação professores de Educação Física, para atendimento destes alunos.

“É preciso haver um acompanhamento do atendimento, pois cada caso é um caso. Não adianta apenas criar a vaga, é preciso preparar e dar assistência para professor”, diz a gerente do CRQVM, Simone Iubel.

Segundo Simone, caso a deficiência não permita a prática de um determinado esporte, o aluno é encaminhado para outra atividade.

Os centros integradores do Portal do Futuro passaram por avaliação de equipe técnica da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que apontaram as adequações físicas necessárias para o pleno atendimento das pessoas com deficiência. As adequações foram feitas pela Secretaria Municipal do Esporte Lazer e Juventude

Segundo o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Aluisio Dutra Junior, as atividades para a pessoa com deficiência nos Portais do Futuro são mais uma etapa do investimento da Prefeitura no paradesporto e na inclusão.

“Estas ações fazem parte da política desta gestão de oferecer melhor qualidade de vida às pessoas com deficiência de Curitiba. Em todas as atividades realizadas pela secretaria, há espaço para estas pessoas, com profissionais habilitados para ajudá-las e orientá-las”, diz o secretário.

Programa

Considerado um dos principais programas sociais da atual gestão, o Portal do Futuro visa fortalecer e apoiar crianças e jovens com idade entre 10 e 29 anos, de maneira que conquistem autonomia e se preparem para uma vida produtiva e saudável. Estão em funcionamento quatro unidades, nas regionais Boqueirão, Bairro Novo, Cajuru e CIC. Em breve deve entrar em funcionamento o Portal do Futuro do Tatuquara, e a Prefeitura já iniciou as obras dos portais Boa Vista e Santa Felicidade.

Fonte: Bem Paraná

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *