CET vai instalar 125 semáforos sonoros para cegos em São Paulo

Compartilhe:

A Prefeitura de São Paulo vai implantar uma CIL (Central de Intérpretes de Libras) para ampliar o acesso a serviços públicos das cerca de 350 pessoas com deficiência visual e auditiva que vivem na capital paulista.

O contrato com a empresa vencedora da licitação já foi firmado e o local deve começar a operar em, no máximo, 90 dias. A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida anunciou também a instalação de 125 semáforos sonoros para melhorar a mobilidade das pessoas com deficiência visual.

Antes dos equipamentos começarem funcionar, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) afirmou que vai realizar audiências públicas para definir os cruzamentos mais estratégicos para a colocação dos semáforos. Ainda não há prazo determinado para que os aparelhos estejam em pleno funcionamento.

“A gente precisa construir uma cidade para todas as pessoas que vivem nela. Este plano é um ganho muito grande para as pessoas com deficiência, para as pessoas com mobilidade reduzida e para todos que vivem na nossa cidade”, disse a chefe da pasta da Pessoa com Mobilidade Reduzida, Marianne Pinotti .

O programa prevê também a reforma de um milhão de metros quadrados de calçada.

Ainda segundo a secretária, a central vai dar apoio presencial, in loco e pela internet para todas as pessoas com deficiência visual. O objetivo principal do governo municipal é que todas tenham acesso aos serviços públicos com mais facilidade.

Além dos intérpretes de Libras, os surdo-cegos que vivem na capital também terão o apoio de três guias-intérpretes especializados para auxiliar os deficientes visuais em visitas a locais públicos.  

Como o contrato com a empresa vencedora da licitação já foi formalizado, a Prefeitura garantiu que três meses são suficientes para que o serviço já esteja operando. Inicialmente, ele vai funcionar das 8h às 20h, mas pode ser revisto de acordo com a demanda.

Fonte: Diário SP

6 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *