Motoristas e cobradores de ônibus do AM recebem treinamento para atender pessoas com deficiência

Compartilhe:

A empresa de transportes urbanos Expresso Coroado, que atende a Zona Leste de Manaus, passa até o final deste mês por uma capacitação para oferecer uma abordagem correta às pessoas com deficiência no transporte coletivo. No total, serão treinados 600 funcionários, entre inspetores, cobradores e motoristas. As aulas são dividas em módulos de 40 participantes.

A capacitação é realizada pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conede-AM). O treinamento conta com apoio da Secretaria Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped) e consiste em aulas práticas e teóricas sobre a realidade das pessoas que precisam de auxílio para embarcar e desembarcar nos transportes coletivos.

A capacitação foi uma solicitação da própria empresa que busca aperfeiçoar o quadro de colaboradores acerca das terminologias corretas à pessoa com deficiência; direitos e conquistas; condução de cadeirantes, cegos e pessoas com mobilidade reduzida. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Manaus possui 461,4 mil pessoas com algum tipo de deficiência, o equivalente a 23% da população.

O palestrante do curso e presidente do Conede-AM, Mário Célio, afirma que é importante ter esse respeito e conhecimento sobre a rotina das pessoas com deficiência na utilização dos coletivos. “Essa programação conta com explicações sobre conceitos e termos usados para abordar as pessoas. A intenção é que todos possam conduzir de maneira corretas essas pessoas e mostrar que as pessoas com deficiência têm direito a esse transporte de uma maneira mais humanizada. A humanização faz parte da sensibilização”, ressaltou.

O cobrador Marinho Gomes, 36, simulou a entrada e saída de um cadeirante no ônibus. Ele comenta que o aprendizado deve ajudar em seu trabalho no coletivo. “É importante porque são situações que convivemos, pois tem dias que transportamos três cadeirantes por viagem e temos essa missão de ajudar ao próximo”, disse.

Fonte: A Crítica

11 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

  3. em algumas companhias de avião (Latam, Gol…) só é permitido o voo gratuito do def.fisico em caso de tratamento médico comprovado, para isso deve preencher cadastro valido por um ano, no caso do acompanhante terá 50% de desconto na viagem. melhores informações no Youtube “Pessoas com deficiência terão passe livre em aviões” ou similares. boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *