Profissionais das vilas olímpicas do Rio recebem curso de capacitação

Compartilhe:

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer iniciou dia 2 a capacitação e aperfeiçoamento de profissionais das vilas olímpicas para atividades paradesportivas – exercícios adaptados para pessoas com deficiência – . Para Sandra Peres, gerente de pesquisa e normatização da secretaria, levantamentos mostraram que há uma necessidade de capacitação desses profissionais.

“Todos os profissionais das vilas olímpicas possuem especialização na área, mas ninguém sabe tudo. Então o projeto enriquece esses técnicos, porque encontra uma diversidade muito grande de deficiências, trazendo mais experiência,” disse.

O professor Alberto Martins da Costa, coordenador-geral da Academia Paralímpica e do Comitê Paralímpico Brasileiro, reforçou que  “é uma ótima oportunidade para discutirmos sobre as atividades físicas para as pessoas com deficiência, assim como os problemas que existem para o acesso dos deficientes no esporte. A gente espera que em curto ou médio prazo essa iniciativa possa dar bons frutos”.

O classificador funcional dos comitês paralímpicos Internacional e Brasileiro, João Paulo Castelleti, alerta para outro ponto importante. “Os maiores Jogos Paralímpicos do mundo serão na nossa casa. Todo mundo que está envolvido tem que ser muito bem capacitado”.

O secretário municipal de Esportes e Lazer, Marcos Braz, assegura que o projeto é fundamental para a qualificação e implantação de outras ações focadas nas pessoas com deficiência nas vilas olímpicas do Rio.

Segundo o secretário, contar com membros gabaritados como dos comitês Paralímpico Brasileiro e Internacional faz a diferença no projeto. “As pessoas com deficiência necessitam de cuidados específicos. Por exemplo, um professor recém-formado em educação física não está necessariamente apto ao tratamento com deficientes. Então, esses profissionais fazem com que o projeto seja de grande qualificação para todos aqueles que atendem essa demanda”.

Fonte: EBC

9 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

  2. Vcs que tem alguma diferença física dos outros, nuncam se sintam inferiores, somos todos iguais. Deus, Ele nos fez perfeitos com muito amor e todos somos capazes, nunca deixe se elevar pelo sentimento ruim de alguém que não sabe se expressar, qualquer ser humano pode superar suas dificuldades, se orgulhe de vcs, são capazes de fazer sempre o melhor, e use a seu favor: a paciência, benovolência e a calma e toda a sabedoria que vcs tem. Um grande abraço meus irmãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *