Sábado é dia de aprender sobre o trabalho dos cães-guia na Linha 4-Amarela

Compartilhe:

A ViaQuatro, concessionária que opera a Linha 4-Amarela de metrô de São Paulo, e o Instituto Íris, especializado em treinamento de cães-guia, promovem neste sábado (27), a partir das 8h30, na Estação Paulista, ação educativa para conscientizar os passageiros sobre o trabalho do cão-guia e demonstrar a importância da acessibilidade no dia a dia de pessoas com deficiência visual.

Na estação Paulista, um grupo de pessoas com deficiência visual com seus respectivos cães-guia, vai demonstrar as regras de interação com o animal.  Os passageiros vão poder esclarecer dúvidas sobre como agir e o momento adequado para brincar e tocar o cão.

Muitas pessoas não sabem, mas não é permitido interagir, fazer carinho ou alimentar o cão-guia durante a condução de uma pessoa com deficiência visual. Apenas quando o animal estiver sem a guia no pescoço a interação está liberada.

Durante a ação, o grupo percorrerá as estações da Linha 4-Amarela rumo à Pinacoteca do Estado de São Paulo. Lá, farão visita monitorada à galeria de obras de arte táteis, acervo especial para pessoas com deficiência visual de um dos principais museus da capital paulista. A atividade faz parte do apoio dado pela concessionária ViaQuatro ao Programa Educativo para Públicos Especiais da Pinacoteca.

"É fundamental esse tipo de atividade que favorece a inclusão social da pessoa cega na sociedade e mostra que cada vez mais estamos participando de diversas e diferentes atividades. Por outro lado, a sociedade também precisa entender algumas regras de convivência com os cães-guia que estão conduzindo seus donos", explica Marcelo Panico, presidente do Instituto Iris.

Após a visita monitorada à Pinacoteca, o grupo reúne-se na Praça da Estação Luz para mais interação com o público do local.

 

Serviço: Evento Cão-Guia na ViaQuatro
Data: sábado, 27 de junho
Saída: Estação Paulista, a partir das 8h30
Chegada: Praça da Estação da Luz, às 9h30
Visita monitorada à Pinacoteca: das 10h às 12h
Interação com os cães: Praça da Estação da Luz, das 12h às 13h

3 respostas para “O que aprendi ao falar no TEDx Talks”

  1. Bom dia. Sou pessoa que gagueja e a vida toda sofri com essa dificuldade. Não consigo me expressar a maneira que gostaria. A gagueira me causa sofrimento, tenho 36 anos e sempre gaguejei. No trabalho isso me causa desconforto, porque as pessoas não entendem o que é a gagueira, alguns riem, outros fazem piadas, outros tem pena de mim. Em entrevistas de emprego sou excluída.
    Não sou uma pessoa considerada ” normal”, mas também não sou considerada deficiente. Esse projeto de lei me trouxe esperança. Muito obrigada pela postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *